badge

29 julho 2009

Esta é que nenhuma bruxa previa.... de certeza!!!


Peço desculpa pela qualidade da imagem mas foi o que se arranjou... de qualquer forma não tenho bem a certeza se quero ter esta imagem com boa resolução na minha cabeça.
A FHM está mesmo desesperada... já experimentaram passar por Ermesinde? É que lá há gajas mesmo boas mas assim mesmo boas!

27 julho 2009

Este verão a silly season parece que é mesmo silly !


Entre trocas e baldrocas e anúncios de quem tenta ficar com a Joana Amaral Dias, eu fico à espera de ver o Luis Filipe Vieira ou o Rui Costa a anunciar a sua contratação para o SL Benfica... no fim e cá para mim ela vai acabar é no FC Porto....

21 julho 2009

Concerto de Mamer (China) cancelado devido a problema de vistos



O concerto do artista chinês Mamer, marcado para as 18h30 de 22 de Julho, no Centro de Artes de Sines, foi cancelado devido a problemas no visto de entrada no espaço Schengen.

É mais uma manifestação dos entraves à circulação de artistas na Europa que tem vindo a impedir que tenhamos acesso aos músicos de que mais precisamos de conhecer para ter uma visão alargada da arte e do mundo.

Sines junta-se às dezenas de promotores e organizadores de festivais no protesto pela crueldade burocrática com que os músicos são tratados e pelo empobrecimento que representa para o público europeu.

Por solidariedade e respeito pelo artista, o concerto de Mamer não será objecto de substituição. Os espectadores que adquiriram bilhete devem dirigir-se à recepção do Centro para receber a devolução da importância respectiva.

20 julho 2009

Recebemos, replicamos e aguardamos ansiosamente !


O QUE CHEGA POR EMAIL NEM SEMPRE SÃO MÁS NOTICIAS!

A editora Antígona informa que vai começar a publicar as obras de Tomás da Fonseca (1877-1968), famoso iconoclasta, que viu alguns dos seus livros proibidos durante o Estado Novo.

Autor de uma vasta obra, nenhum dos seus títulos foi editado nos últimos cinquenta anos.

A Antígona sairá, já em Setembro, com O Santo Condestável – Alegações do Cardeal Diabo, que reproduz uma conferência realizada na Universidade Livre de Coimbra, em 1932, de onde o autor foi obrigado a sair escoltado, não tendo terminado a sua comunicação.

Num ano (2009) em que Nun’Álvares foi oficialmente canonizado, fica o eco das palavras de Tomás da Fonseca: «Nossa Senhora terá vergonha de ter ao seu lado um militar-santo com as mãos sujas de sangue.»

Seguir-se-á a publicação, em Outubro, de Na Cova dos Leões, o livro mais anticlerical de sempre, que desmonta e denuncia a grande e espectacular mentira de Fátima, humilhando a Igreja e a padralhada em geral.

Disto ficam os críticos e os leitores avisados.

Luís Oliveira
(editor)

18 julho 2009

Assim é... assim se vê !

Nel Monteiro e Edgar Pêra uma mistura explosiva

17 julho 2009

Utopias Ciborgues e Outras Casas nas Árvores


Utopias, Ciborgues e Outras Casas nas Árvores
Oficina de Criação Artística com Carla Cruz

Datas: 22, 23 e 24 de Julho, das 19:00 às 22:00
25 de Julho das 14:00 às 18:00
Local: Centro de Memória (google maps), Vila do Conde
Público-alvo: todos os interessados

Nunca foi tempo de sermos pessimistas, mudar o mundo disse Marx, mudar a vida disse Rimbaud, mudar de vida disse Variações. Sim o mundo é composto de mudança, e hoje como sempre precisamos de novas projecções para o futuro, imaginar o impossível, criar gestos que reflictam a pluralidade da existência, ou seja novas Utopias. A proposta desta oficina é exactamente a de imaginarmos criticamente uma nova cidade*, mas também uma nova mulher e homem para essa cidade, daí a noção de ciborgue, que de acordo com Donna Haraway é um híbrido entre máquina e organismo, uma criatura de realidade social bem como ficcional, uma possibilidade de novas construções de relacionamento social.

Ficha de Inscrição (Microsoft Office - Word)

Do resultado da oficina sairá a obra a apresentar na 5ª edição do Circular Festival de Artes Performativas, que decorrerá de 19 a 26 de Setembro de 2009.

*cidade/polis - civilização

Donna Haraway, "A Cyborg Manifesto: Science, Technology, and Socialist-Feminism in the Late Twentieth Century," in Simians, Cyborgs and Women: The Reinvention of Nature (New York; Routledge, 1991).


16 julho 2009

Mercadinho Porto Belo

13 julho 2009

Os livros da DERIVA no Plano Nacional de Leitura

08 julho 2009

07 julho 2009

Apresentação do livro AQUI NA TERRA nos MAUS HÁBITOS


O livro de reportagens AQUI NA TERRA (Deriva), do jornalista da VISÃO, Miguel Carvalho, é lançado no próximo dia 14 de Julho, às 21.30, no espaço MAUS HÁBITOS, no Porto. A obra será apresentada por Nuno Higino (professor de Sociologia, escritor e antigo pároco de Marco de Canaveses) e Zaclis Veiga (Professora de Fotojornalismo e jornalista brasileira).

"Aqui na Terra é o retrato de um certo Portugal.
País aquém e sempre além, onde o humano e o divino moldam as
circunstâncias da nossa condição.
Relatos de um País que, por vezes, não vem no mapa.
Quadros e figuras que constituem uma geografia de afectos e desamores, de entregas e renúncias, de comédias humanas e tragédias colectivas.
Nestas reportagens, desenha-se um território de sombras e luzes, de martírios e pantomina, de identidade e resignação, habitado por existências vestidas do avesso e «estórias» de trazer pela mão.

Um País, enfim, que levamos inscrito por dentro.
Mas sempre descrito como quem o olha de fora.
País coitadinho e honrado.

País em grande ou maltratado.
País santificado e do Diabo, onde por vezes anda tudo ligado."

Consultar:
http://derivadaspalavras.blogspot.com/search/label/Miguel%20Carvalho

Nuno Higino
Entre 1988 e 2001 foi pároco em Marco de Canaveses, período durante o qual foi construída a igreja de Santa Maria com projecto de Álvaro Siza. Em 2001 foi estudar Filosofia. Em 2003 matriculou-se num programa de doutoramento em Madrid na Faculdade de Filosofia da Universidade Complutense. Na sua investigação, concluída em 2007, procurou interpretar os desenhos de Álvaro Siza a partir de Jacques Derrida. Actualmente é professor de Sociologia na Universidade Fernando Pessoa, investigador do Centro de Estudos Portugueses da Universidade Católica - Porto e membro da Associação Casa da Arquitectura. Renunciou ao sacerdócio em 2004. Tem vários títulos publicados na área da poesia e da literatura infanto-juvenil.

Zaclis Veiga
Jornalista e fotógrafa. Mestre em Multimeios com pesquisa na área de Antropologia Visual, pela UNICAMP. É autora dos livros Telejornalismo e Violência Social – a construção de uma imagem e Visões de Ponta Grossa – mosteiro da Ressurreição. Publicou artigos relacionados com a fotografia, folkcomunicação e antropologia visual. É professora de fotojornalismo no curso de Jornalismo da Universidade Positivo, em Curitiba, e Vice-presidente do Instituto Cultural de Jornalistas do Paraná.

06 julho 2009

Honduras Calling


Soldados hondurenhos lançaram gás lacrimógeneo contra manifestantes que esperavam o regresso do Presidente deposto, Manuel Zelaya, junto ao aeroporto de Tegucigalpa: os confrontos provocaram dois mortos e dois feridos entre os manifestantes, segundo a polícia. O avião que transporta Zelaya sobrevoou entretanto o aeroporto, mas os militares bloqueiam a pista, impedindo a aterragem com segurança.
Em declarações à televisão de Caracas a partir do avião venezuelano em que viaja, o chefe de Estado deposto e expulso pelos militares há uma semana admitiu que não deverá conseguir aterrar e disse que voltaria a tentar "amanhã, depois de amanhã".
Já a bordo do aparelho em que embarcou em Washington, Zelaya invocara a condição de “comandante geral” das Forças Armadas para ordenar aos militares a abertura do aeroporto para a aterragem. Mas o novo poder mostrou-se intransigente. “Ordenei que não seja autorizado a entrar, aconteça o que acontecer”, declarara Enrique Ortez, ministro dos Negócios Estrangeiros do governo interino de Roberto Micheletti.

02 julho 2009

Nova Colecção no Lab.65

01 julho 2009

Continuação do obituário.... Pina Bausch


Os dançarinos em cena não dançam. Correm. Gritam e riem, contam piadas. Alguém derrama água e joga terra no chão do palco. Talvez até cresça grama ali. Piruetas velozes e pernas esticadas para o alto são coisas inexistentes numa encenação dessas. Mas seres humanos – pessoas vivas com medos, amor, tristeza e fúria. "O que me interessa não é como as pessoas se movem, mas sim o que as move”, resume Pina Bausch o propósito de seu trabalho.