badge

29 maio 2009

Serralves em Festa - começa já amanhã !


clique para aumentar

28 maio 2009

32º Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica


Em 2009, o FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica celebra a sua 32ª edição na convicção de que, mais do que nunca, a programação aqui apresentada contempla uma diversidade de propostas que, sem perder de vista os propósitos do Festival, na promoção do teatro e das artes performativas no contexto ibérico, aposta cada vez mais numa inovação constante, acompanhando as transformações do domínio das artes do palco, numa aproximação cada vez mais evidente aos campos da dança, performance, teatro de marionetas e novo circo. Se estas propostas surgem deste motivo principal, não é demais referir que também acontecem da necessidade de pensar o Festival no contexto de uma cidade que deixou de ter programação regular nestas áreas culturais, um factor que entendemos como um desafio à própria natureza evolutiva do FITEI.

26 maio 2009

Porque é que eu acho as viagens na CP aborrecidas...


... ou uma homenagem aos novos canais do pacote base da MEO.
Indy mood !

As Aves no Café Progresso


No próximo dia 28, pelas 21,30, no Café Progresso, a Livraria Poetria realiza uma sessão de poesia sobre "As aves".

As asas de Ícaro, desfeitas e glorificadas pelo Sol, permanecem no sonho eterno dos homens. E voar é preciso, até ao infinito e mais além.
Para além dos artistas da palavra - Olga Oliveira, Celeste Pereira, André Sebastião, Margarida Fernandes, António Pinheiro, Manaíra, Odete Boaventura -, teremos os artistas da imagem e do som - Alfred Hitchcock, Fernão Capelo Gaivota.

25 maio 2009

Seminário Sobre Não Violência


No âmbito da Marcha Mundial pela Paz e a Não violência queremos convidar todos a participarem numa tarde de reflexão e prática sobre a raíz da violência e como podemos contribuir para que a Paz e a Não -violência façam parte do nosso processo pessoal e da sociedade em que vivemos.
Assim, no próximo sábado dia 30 de Maio entre as 15h.30m - 18h, na Casa da Cultura da Junta de Freguesia de Paranhos (Largo Campolindo, 7 - Porto), esperamos por todos para trabalharmos em conjunto.

Aproveitamos para informar ainda que de 5 a 15 de Junho a Marcha Mundial fará, a nível mundial, nova campanha de adesões a esta Marcha. Em breve enviaremos o calendário de actividades, mas desde já solicitamos o apoio de todos que, junto de amigos, conhecidos, colegas de trabalho, etc, divulguem esta Marcha e incentivem mais pessoas a aderirem através da nossa página e a participarem nas diversas actividades da mesma.

Continuem a “marchar” connosco por um mundo de Paz e Não-Violência!!

www.marchamundialpt.org

22 maio 2009

Olympe. La décapitée de la République.


25 de Maio - 20h30

Instituto Franco-Português (Av. Luís Bivar, 91, Lisboa)

«Olympe, la décapitée de la République»

Leitura encenada por Elsa Solal e Diogo Dória
Seguido de um debate sobre

A MULHER NA POLÍTICA

com
Elsa Solal
(escritora, actriz e professora universitária)

Diogo Dória
(actor)

Irene Pimentel
(historiadora)

Maria Belo
(psicanalista, ex-deputada europeia e professora universitária)

Sandra Monteiro
(directora do Le Monde diplomatique - edição portuguesa)

A entrada é livre.

15 maio 2009

Pinball a partir da velhinha VHS.... para quem tem pouco que fazer !

13 maio 2009

Poetas Aqui e Agora

11 maio 2009

Lançamento do livro Estudo Histórico sobre a Campanha do Marechal Soult em Portugal


A Câmara Municipal do Porto tem a honra de convidar V. Exa. para a Conferência O Povo Português na Guerra Peninsular, proferida pelo Coronel Américo Henriques, seguida da Apresentação da nova edição do Estudo Histórico sobre a Campanha do Marechal Soult em Portugal, de A. P. Taveira (1898), da Deriva Editores, que se realiza no dia 12 de Maio, às 17h00, no Palacete dos Viscondes de Balsemão (Praça de Carlos Alberto, 71).

Deriva Editores
Rua de St. Ildefonso, nº 85, 5º , sala 2
4000-468 Porto
tel/fax 225365145
http://www.derivaeditores.pt

TETRA CAMPEÕES !!!


O FC Porto garantiu a conquista da Liga Sagres 2008/09 ao vencer no Estádio do Dragão o Nacional por 1-0, com o único golo da partida a ser apontado por Bruno Alves aos 48 minutos. Este é o quarto título consecutivo conquistado pelo FC Porto, sendo o terceiro conquistado por Jesualdo Ferreira que se torna assim no primeiro treinador português a conseguir vencer 3 títulos consecutivos.

07 maio 2009

1/2 Pensão no Expresso

06 maio 2009

Leitura Furiosa


Domingo, dia 17 de Maio, pelas 16 horas, aqueles* que, nos dias anteriores, cometeram a Leitura Furiosa** - um encontro de gente que escreve com gente zangada com a leitura - vão estar na Biblioteca do Museu de Serralves para ouvir, da boca de Ana Deus e seus convidados, os resultados desse convívio insólito. Seria um prazer ter-te connosco.

* Fundação de Serralves, Serviço Educativo do Museu de Serralves, Centro Educativo Santo António, Qualificar Para Incluir, Comunidade Terapêutica de Ponte da Pedra, Jornal «O Primeiro de Janeiro», Regina Guimarães Paulo Eduardo Monteiro, Valter Hugo Mãe, Catarina Falcão, Pedro Eiras, João Alves.

** Projecto da Associação Cardan, trazido a Portugal pela mão de Luiz Rosas. Este ano a Leitura Furiosa decorre, em simultâneo nas cidades de Amiens, Porto, Lisboa e Kinshasa.

05 maio 2009

Vasco Granja - Hoje e Sempre



04 maio 2009

MAYDAY PORTO 2009 – REFORÇA A LUTA CONTRA A PRECARIEDADE!



Depois de dois meses e meio de intensiva preparação, que incluiu a organização de várias acções públicas (uma queima de recibos verde, três debates, uma jornada de reflexão, uma festa no dia 25 de Abril; e muitas distribuições de panfletos e assembleias gerais) estávamos finalmente no dia 1º de Maio.
Para muitos de nós, nascidos nos pós 25 de Abril, esta seria uma estreia absoluta numa manifestação do Dia do Trabalhador. 2009, por ser o ano que inicia a maior crise económica a que o mundo assiste desde 1929, será porventura, também, o primeiro de muitos Maios para a nossa geração. O Porto, a zona norte a que pertencemos, concentra a maior mancha de desempregado/as e desemprecário/as do país. Tínhamos por isso de reagir. E Maio foi o principio das respostas que se poderão seguir.
Às 12h00, na Praça dos Poveiros, ponto de concentração dos trabalhadores precário/as, montamos a banca e o som e demos início aos concertos do Paulo Praça e da Associação José Afonso, assim como à leitura dos textos que tinham sido escritos no decurso da operação Mayday. Fizemos o pic-nic, terminámos todas as questões logísticas e iniciámos a nossa manifestação.
Com pancartas, faixas e megafones, arrancámos toda a revolta das nossas entranhas e protestámos contra a tirania que é a precariedade. A faixa da frente “Precários do Mundo Inteiro Uni-vos” exprimia o sentido da nossa luta, que é a mesma de todos os trabalhadores sujeitos à desregulação do trabalho e à exploração do mercado neo-liberal. Por isso quisemos juntar-nos aos sindicatos e mostrar que “a união faz a força”. E por isso chamámos para dentro da manifestação todos aqueles e aquelas que nos passeios nos aplaudiam e encorajavam. “Sai do Passeio e vem para o nosso meio!” dizíamos. Eramos já mais de 300 pessoas.
Os nossos slogans e canções foram muitos: “Com a Precariedade Andamos para Trás”, “A Precariedade Congela-nos a Vida”, “Precários Hoje, Revolucionários Amanhã”, “Deixa passar, deixa passar, eu sou precário mas o Mundo eu vou mudar!”.
Sim, sentimos as pessoas connosco. Sentimos que fizemos bem ao alicerçar pela primeira vez no Porto uma manifestação inovadora, onde está massivamente representada a nossa geração. A geração dos 500 euros, dos recibos verdes, dos estágios não remunerados, a quem é dito que vai ter uma vida pior do que a dos seus pais, e qui ça que a dos seus avós. Não aceitamos este modelo, e por isso decidimos unir esforços e encetar lutas colectivas que possam fracturar as falsas expectativas, para que o marketing político, financeiro e comercial, que nos foi vendido desde os anos 80, seja posto em causa.
Queremos uns país realmente europeu, com movimentos sociais próprios. Não um país aninhado e servil que se deixa explorar e tiranizar em silêncio. Ao Porto isto fez bem. Foi formativo e agregador. A nós isto fez-nos bem porque aumentou o capital de esperança na vida e na luta.

03 maio 2009

Por um circo sem crueldade

02 maio 2009

Caravana a caminho de Lisboa....

01 maio 2009

MAYDAY 2009 – O LUGAR ONDE NOS ENCONTRAMOS


Se estás farta de estar desempregada, o MayDay é contigo.

Se és estagiário “não remunerado” e te fazem a chantagem do currículo e não te pagam apesar de trabalhares, mesmo que produzas a riqueza do escritório ou da empresa ou da escola onde trabalhas, o MayDay é contigo.
Se ganhas mal, se te vês à rasca para sobreviver com o que te pagam, se não sabes mais que equilibrismo inventar para pagar a casa e a luz e os transportes e a comida e tudo o resto de que precisas, então o MayDay é contigo.
Se trabalhas a recibo verde, não tens direitos nem protecção social e te dizem que tens de pagar à segurança social uma quantia que não tens, em troca de protecção quase nenhuma, o MayDay é contigo.
Se és estudante e não tens como pagar as propinas ou te falta acção social escolar e até fazes um part-time para ajudar a pagar os estudos, então o MayDay é contigo.
Se trabalhas para uma empresa de trabalho temporário e tens dois patrões para o mesmo trabalho, se te roubam uma parte do que é teu quando te alugam a uma empresa, a um call-centre ou a uma obra, então o MayDay é contigo.
Se és imigrante e não tens papeis, ou se tens papeis e mesmo assim não tens direitos, se te usam contra o teu colega de trabalho e se servem da tua dificuldade, então o MayDay é contigo.
Se tens um contrato a prazo para teres menos direitos e vais vivendo a prazo mesmo se a empresa precisa sempre de ti, então o MayDay é contigo.
Se te sentes preso à precariedade e congelado nos teus projectos e ainda não saíste da casa dos teus pais porque não tens um trabalho que te permita fazer planos, então o MayDay é contigo.
Se estás farto de tanto abuso, se estás farto do silêncio, se estás farto da injustiça e estás farto de não ter voz, se achas que já basta de exploração, então o MayDay é contigo.
Se és um pouco disto tudo, ou se conheces quem é, ou se já foste ou se vais ser ou se és amigo de quem seja, então o MayDay é contigo.

Traz merenda, traz a voz, traz palavras, traz ideias...

No dia 1 de Maio, 12h, nos Poveiros, é contigo.

(melodia do refrão da «La Cucaracha»)

Precariedade, precariedade
O patrão é um animal
Porque me nega
Cabrão de merda
Um contrato laboral


(melodia do refrão de «A formiga no carreiro» de José Afonso)

O precário
sem carreira
vinha em sentido diferente
Saiu à rua,
saiu à rua
e juntou-se um mar de gente.
O precário
sem contrato
juntou-se a outros sujeitos
Saiu à rua,
saiu à rua
Reclamou os seus direitos.
O precário
sem esperança
juntou-se aos desesperados
Saiu à praça,
juntou-se à massa
de muitos desempregados.
O precário
sem cagaço
desatou a protestar
Saiu à praça,
juntou-se à massa
de quem foi manifestar.