badge

31 março 2008

Pela libertação do TIBETE !


Concentração e Vigília em frente ao Comité Olímpico de Portugal
Local: Travessa da Memória, 36 - (junto à Calçada da Ajuda), Lisboa
Às: 19:00


Por todo o mundo, hoje, 31 de Março, grupos de apoio à luta do povo tibetano vão realizar os mais diversos
eventos, num esforço para chamar a atenção para o sofrimento do povo tibetano.
Tibetanos no exílio e apoiantes do Tibete apelam, para que sejam retiradas do percurso da Chama Olímpica, durante a sua "Viagem de Harmonia", da Grécia a Beijing, as áreas Tibetanas, afirmando que celebrar o percurso no Tibete, enquanto a violação dos direitos humanos do povo Tibetano se agrava é um atentado ao espírito da Carta Olímpica.
Mais de 150 organizações de apoio ao Tibete solicitaram ao Presidente do Comité Olímpico Internacional, mediante carta enviada há duas semanas, o cancelamento da passagem da Tocha Olímpica por áreas Tibetanas.
As organizações enviaram também cartas aos patrocinadores do percurso da Tocha - Coca Cola, Lenovo e Samsung - apelando à retirada do patrocínio, até o Tibete deixar de constar no percurso da Tocha, e apelará agora aos Comités Olímpicos Nacionais de modo a que a Tocha Olímpica não percorra o Tibete.

29 março 2008

Correr para correr com eles !


ESTAFETA CONTRA A PRECARIEDADE - LUTAR PARA GARANTIR A ESTABILIDADE !
Lisboa - 28 Março

28 março 2008

O Porto, as Carolinas e os escândalos ....



... o que é que se passa nesta cidade ?

CICLO DE DEBATES SIMONE DE BEAUVOIR


«VIDA, ESCRITA, COMPROMISSOS»
28 e 29 de Março
21h - Sala EPC

FABRICA DE BRAÇO DE PRATA
Rua Fábrica do Material de Guerra, nº1
(em frente aos Correios do Poço do Bispo).
Tlf - 21868 6105

Simone de Beauvoir, a mulher que fez escândalo e escola, impulsionando uma verdadeira mudança antropológica e influenciando o trabalho de gerações de críticos e escritores e a vida de muitos homens e mulheres, nasceu há 100 anos! No âmbito de um conjunto de iniciativas, a realizar ao longo deste ano, a Fábrica Braço de Prata, em parceria com o Instituto Franco-Português e o Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa, preparou um ciclo de debates inteiramente dedicados a esta filósofa e romancista francesa.
Pretendemos recordar a mulher que dedicou a vida inteira ao projecto da escrita, onde o objecto da criação literária e da reflexão filosófica se confundiu com o próprio acto de existir. Pretendemos ainda evocar a advogada do feminismo; o ser sentimental que se protegia por detrás de uma frieza aparente; a intelectual que se lançou em vários combates de diversas frentes, tendo tido uma contribuição decisiva para a história do século XX. Em suma, propomos pensar a mulher, a filósofa e a romancista francesa que agarrou a vida com coragem e cuja liberdade foi sempre um elemento fundamental.

Programa:

Sexta-feira, 28 de Março

«Apresentação genérica da Obra de Simone de Beauvoir» por Luísa Ribeiro Ferreira
«Simone de Beauvoir e o Existencialismo» por Nuno Nabais
«Simone de Beauvoir: entre o inevitável e o fortuito» por Maria João Cabrita
«A Força das Coisas e a problemática da velhice com S. de B.» por Maria Belo

Sábado, 29 de Março

«Simone de Beauvoir, uma mulher para além do seu tempo» por Manuela Tavares
«Um olhar feminista sobre Simone de Beauvoir» por Teresa Almeida
«O Segundo Sexo como desconstrução 'do Eterno Feminino'» por Helena Neves
«As memórias de Simone de Beauvoir» por Isabel Barreno

27 março 2008

Dia Internacional do TEATRO


O Teatro nasceu em Atenas, associado ao culto de Dionísio, deus do vinho e das festividades.
As representações teatrais tinham lugar em recintos ao ar livre, construídos para o efeito. Os teatros gregos tinham tão boas condições que os espectadores podiam ouvir e ver, à distância, tudo o que se passava na cena, mesmo tratando-se de uma assistência muito numerosa. Isso devia-se, por um lado, ao facto de as bancadas se abrirem em leque sobre a encosta de uma colina e, por outro lado, a diversos artifícios utilizados em cena.
Os actores usavam trajes de cores vivas e sapatos muito altos para ficarem com uma estatura imponente. Cobriam o rosto com máscaras que serviam quer para ampliar o som da voz, quer para tornar mais visível à distância, a expressão do personagem.
Um aspecto curioso é que, em cada peça, só existiam três actores, todos do sexo masculino. Cada um deles tinha que desempenhar vários papéis, incluindo os das personagens femininas. A representação dos actores, que actuavam na cena, era acompanhada pelos comentários do coro, que se movimentava na orquestra, juntamente com os músicos.
Havia dois géneros de representações: a tragédia e comédia.
As tragédias eram peças ou representações que pretendiam levar os espectadores a reflectirem nos valores e no sentido da existência humana.
As comédias eram, por sua vez, peças de crítica social que retratavam figuras e acontecimentos da sociedade da época, ridicularizando defeitos e limitações da actuação dos homens, provocando o riso na assistência.

Festejar o Teatro com uma ida ao Teatro


A Acaro, companhia de teatro residente no espaço Contagiarte, no Dia Mundial do Teatro marca presença em Palmela, no auditório de Pinhal Novo, o primeiro espectáculo da digressão que vai fazer durante todo este ano. Muito em breve voltamos ao Porto. Um enorme bem haja ao Teatro!

Robert Lepage, actor, encenador e dramaturgo canadiano é o autor da Mensagem para o Dia Mundial do Teatro 2008.
"Existem várias hipóteses sobre as origens do teatro, mas aquela que me interpela mais tem a forma de uma fábula:
Uma noite, na alvorada dos tempos, um grupo de homens juntou-se numa pedreira para se aquecer em volta de uma fogueira e para contar histórias. De repente, um deles teve a ideia de se levantar e usar a sua sombra para ilustrar o seu conto.
Usando a luz das chamas ele fez aparecer nas paredes da pedreira, personagens maiores que o natural. Deslumbrados, os outros reconheceram por sua vez o forte e o débil, o opressor e o oprimido, o deus e o mortal.Actualmente, a luz dos projectores substituiu a original fogueira ao ar livre, e a maquinaria de cena, as paredes da pedreira.
E com todo o respeito por certos puristas, esta fábula lembra-nos que a tecnologia está presente desde os primórdios do teatro e que não deve ser entendida como uma ameaça, mas sim como um elemento unificador.
A sobrevivência da arte teatral depende da sua capacidade de se reinventar abraçando novos instrumentos e novas linguagens. Senão, como poderá o teatro continuar a ser testemunha das grandes questões da sua época e promover a compreensão entre povos sem ter, em si mesmo, um espírito de abertura? Como poderá ele orgulhar-se de nos oferecer soluções para os problemas da intolerância, da exclusão e do racismo se, na sua própria prática, resistiu a toda a fusão e integração?
Para representar o mundo em toda a sua complexidade, o artista deve propor novas formas e ideias, e confiar na inteligência do espectador, que é capaz de distinguir a silhueta da humanidade neste perpétuo jogo de luz e sombra.
É verdade que a brincar demasiado com o fogo, o homem corre o risco de se queimar, mas ganha igualmente a possibilidade de deslumbrar e iluminar."

26 março 2008

Vígilia de homenagem a LUNA


Vigília de homenagem a Luna, transsexual assassinada em Lisboa
4ª feira, dia 26 de Março,
19h, Conde Redondo (esquina com a R. Gonçalves Crespo), em Lisboa.

CRISE disse ele !


O primeiro-ministro, José Sócrates, reafirmou hoje que a crise orçamental portuguesa "está ultrapassada" e os factores que a motivaram "estão resolvidos", garantindo que pela primeira vez tal foi possível sem comprometer o crescimento económico.
"Os últimos três anos foram de uma governação muito difícil e exigente, com um grande esforço de contenção da despesa pública, mas a crise orçamental de 2002, que voltou em 2005, está ultrapassada e os factores que a motivaram estão também resolvidos com as mudanças estruturais feitas no país", afirmou José Sócrates.

Lusa pelo Público (noticia no link)

25 março 2008

Repórteres Sem Fronteiras Pela Liberdade Sem Fronteiras


Nikos Vihos - Reuters

O secretário-geral da organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF), um dos três activistas que esta manhã perturbaram a cerimónia em que foi acesa a chama olímpica, na Grécia, prometeu continuar as acções de protesto contra violação dos direitos humanos na China “até 8 de Agosto”, dia da inauguração dos Jogos.
Os três manifestantes conseguiram perturbar a cerimónia realizada em Olímpia, local onde decorriam dos jogos na antiguidade, aproximando-se da tribuna no momento discursava o presidente da comissão organizadora das olimpíadas de Pequim, Liu Qi. Antes de ser detido pela polícia grega, um dos activistas teve ainda tempo de desfraldar uma bandeira negra dos RSF, com algemas no lugar dos cinco anéis olímpicos e a inscrição “Boicotem o país que espezinha os direitos humanos”. Outro aproximou-se da tribuna, interrompendo o discurso do dirigente chinês gritando: "Liberdade, liberdade".
“O nosso objectivo é que os chefes de Estado estrangeiros boicotem a cerimónia de abertura dos Jogos. Não temos nada contra os jogos Olímpicos, nada contra os atletas”, explicou Robert Ménard, responsável da organização de defesa da liberdade de imprensa, recordando que “a China é a maior prisão do mundo”.
Depois de o presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, e o Governo grego terem lamentado os incidentes, a organização francesa emitiu um comunicado sublinhando que “a chama olímpica pode ser sagrada, mas os direitos humanos são mais”. “Não podemos deixar que o Governo chinês leve a chama olímpica, um símbolo de paz, sem denunciar a dramática situação dos direitos humanos no país, a menos de cinco meses do início dos jogos”.
Os RSF entendem que o tratamento dado pelas autoridades chinesas “aos que se expressam livremente”, “a censura imposta à imprensa” e o “bloqueio noticioso ao Tibete” justificam esta acção. “Devemos usar todos os meios para condenar estas violações das liberdades básicas na China”, acrescenta o comunicado, lembrando “os cerca de cem jornalistas, utilizadores de Internet e ciber-dissidentes que se encontram detidos por expressarem de forma pacífica as suas opiniões”.

Porque a precariedade está onde sempre esteve....


Nós estamos onde sempre estivemos: do lado da LUTA !

O Precariado Rebela-se!

24 março 2008

A isto é que se pode chamar ATITUDE !


Não que me reveja neste tipo de comportamentos, quer da ignorância e mimo que assolam uma geração de crianças com graves falhas de cultura e educação, quer da violência que os professores podem ou não usar para acabar com este tipo de situações. Mas o assunto não ficará por aqui, vão espreitando que um dia destes a opinião aparece aqui toda e fundamentada.

22 março 2008

Boa Páscoa.... ou qualquer coisa do género....


A Páscoa é sempre o primeiro Domingo depois da primeira lua cheia depois do equinócio de Primavera (20 de Março). Esta datação da Páscoa baseia-se no calendário lunar que o povo hebreu usava para identificar a Páscoa judaica, razão pela qual a Páscoa é uma festa móvel no calendário romano.
Este ano a Páscoa acontece mais cedo do que qualquer um de nós irá ver alguma vez na sua vida. A próxima vez que a Páscoa vai ser tão cedo como este ano (23 de Março) será no ano 2228 (daqui a 220 anos).
A próxima vez em que a Páscoa vai ser um dia mais cedo, 22 de Março, será no ano 2285 (daqui a 277 anos). A última vez que foi tão cedo foi em 1818. Por esta razão, ninguém que esteja vivo hoje, viu ou irá ver uma Páscoa mais cedo do que a deste ano.


21 março 2008

Dia Mundial da POESIA


A poesia é tudo o que há de íntimo em tudo.
Victor Hugo

20 março 2008

NO MORE !!! 5 anos depois


Enquanto Bush, discursando no Pentágono, afirmava que não se arrendia da invasão e ocupação do Iraque, milhares de manifestantes protestaram em várias cidades dos EUA exigindo o regresso das tropas e entoando slogans como "basta de sangue por petróleo". Foi precisamente no dia 20 de Março de 2003 que as tropas americanas pisaram o solo iraquiano. Ontem, 200 manifestanates anti-guerra foram presos.


Kadhim Al-Saher, um dos mais conhecidos cantores árabes compôs esta música para o documentário “My Country, My Country”.

Os números da invasão:

150 mil a 600 mil mortos iraquianos (600 mil segundo o director do Centro de Resposta a Refugiados e Desastres da Escola de Saúde Pública Johns Hopkins e responsável pelo inquérito publicado na Lancet, Johns Hopkins.
3987 soldados americanos mortos no Iraque
4295 soldados mortos no Iraque (1724 mortos com bombas de berma de estrada)
196 mil contractors no Iraque e no Afeganistão
5,1 milhões (em 27 milhões) de iraquianos deslocados. Apenas 20% recebe alguma ajuda de agências da ONU ou de ONG.
2,7 milhões de deslocados no Iraque
1,2 milhão de refugiados na Síria
500 a 600 mil de refugiados na Jordânia
43% dos iraquianos vivem com menos de um dólar por dia
12 horas de electricidade por dia na capital de um dos maiores produtores de petróleo do Mundo
Um litro de gasolina custa 350 dinares (há dois anos custava 20 dinares)
25% a 40% de taxa de desemprego
Custos directos e indirectos de 3 milhões de milhões de dólares para os EUA (segundo Joseph Stiglitz, Nobel da Economia em 2001)
Armas de destruição em massa descobertas: 0

Food Fight


Porque não é bonito fazer guerras...

African Style na Bombarda


Esta quinta no JUP, na Rua Miguel Bombarda no Porto, há caxupa da Filó, feirinha artesanal, e dj Clandestino!
Vai ser divertido apareçam...

19 março 2008

Difamar os palhaços é que devia ser crime !!!


O nosso amigo Alberto João mostrou uma insuspeita susceptibilidade ao processar o Daniel Oliveira. Tudo porque achou que o epíteto “palhaço” é coisa insultuosa e a exigir reparação urgente. Ora, já depois da douta sentença que condenou o Daniel dizer adeus a uns milhares de euricos, vemos toda uma classe profissional a insurgir-se de forma vigorosa contra a mesma crónica. Leiam a petição que já circula por aí, na certeza de que a nossa reprodução da mesma em nada indicia o nosso apoio às suas justas reivindicações (não vá o diabo tecê-las):
«O Sindicato dos Trabalhadores Humorístico-Circenses (STHC) vem por este meio deixar claro o seu mais veemente repúdio à publicação de uma crónica do vosso colaborador Daniel Oliveira. Este senhor teve o topete de escrever “Alberto João Jardim é um palhaço” e ainda esclareceu a sua ideia do que é um “palhaço”: alguém que “envergonha, de cada vez que abre a boca, a nossa democracia”.
Isto é claramente uma ofensa à nobre e industriosa classe profissional dos Palhaços, que o STHC tem a honra de representar. Que fique claro que estes trabalhadores não têm o hábito de envergonhar alguém. Mais importante ainda, não é Palhaço quem quer.
Além de formação especializada, é preciso ter algo que o tal “Alberto João” patentemente não possui: graça. Andar aos tombos de tasca em tasca é grotesco — mas não tem graça. Insultar meio mundo, posar de cuecas, presidir a uma pandilha sinistra, ser um soba de meia tigela armado em Estaline dos pobres…. lamentamos, mas nada disto constitui habilitação suficiente para o cargo de Palhaço. E, francamente, já ouviram o tal senhor a falar? Onde é que o homem manifestou ter um grama que seja de pilhéria? Pode inspirar uma ou outra gargalhada alarve; mas trata-se do riso meio acabrunhado que reservamos para os trastes embaraçosos que à viva força nos querem divertir, sem para tal terem técnica ou talento. Vejam bem que o senhor em apreço anda a massacrar o público — que nem tem por onde fugir, a não ser a nado — há 30 anos! Um Palhaço com noção de comédia sabe quando é que deve sair de cena, não se tornando num mono penoso de aturar e insuportável aos sentidos.
Por tudo isto, os abaixo-assinados, em total solidariedade com os membros do STHC, manifestam o seu veemente aplauso à decisão judicial que condenou o citado cronista. E exigem do “Expresso” um pedido de desculpas a toda a classe dos Palhaços, que de forma tão vil enxovalharam com esta comparação ofensiva.»

Ostensivamente roubado do 5 Dias

Lusitana Homofobia... Garras de fora !!!!


Via:Panteras Rosa

... OU COMO ALGUM COMÉRCIO ROSA NÃO TEM NEM SOLIDARIEDADE, NEM CONSCIÊNCIA SOCIAL, NEM RESPEITO POR QUEM LHE DÁ SUSTENTO, UMA COMUNIDADE QUE HÁ ANOS DECIDIU DEIXAR DE TER VERGONHA DOS SEUS AFECTOS E COMEÇAR A CRIAR OS SEUS ESPAÇOS DE LIBERDADE PORQUE ERA E CONTINUA A SER DISCRIMINADA, QUANDO NÃO AUTO-DISCRIMINADA (QUE A DISCRIMINAÇÃO TAMBÉM TEM DESTES MECANISMOS) .
QUEM TEM VERGONHA DOS SIMPLES AFECTOS ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO, NÃO DEVE LUCRAR COM ELES. QUEM REPRIME SIMPLES GESTOS DE AFECTO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO ENQUANTO IGNORA AO LADO EXPRESSÕES DE AFECTO HETEROSSEXUAIS, NÃO TEM O DIREITO DE SE APONTAR "GAY FRIENDLY".
ISSO É INADMISSÍVEL. É INADMISSÍVEL NO CAFÉ LUSITANO NO PORTO, OU EM QUALQUER LUGAR. ERA INADMISSÍVEL HÁ 15 ANOS, QUANDO EM PLENA CRISE DA SIDA OS SUPOSTOS BARES LGBT NEGAVAM AOS PRIMEIROS ACTIVISTAS A MERA DISTRIBUIÇÃO DE MATERIAIS DE PREVENÇÃO DE DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS, PORQUE SUPOSTAMENTE NÃO ERAM BARES LGBT (e a sida, claro está, era gay!) E ISSO CHOCAVA OS "RESTANTES CLIENTES" (lgbt COM VERGONHA DE O SEREM?) , E É INADMISSÍVEL HOJE, QUANDO ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS NOS PROÍBEM OS AFECTOS, OU QUANDO UMA LESBOA PARTY REAGE DA MESMA FORMA PERANTE UM FOLHETO SOBRE SEXO LÉSBICO MAIS SEGURO (porque é uma festa "apolítica", e o sexo seguro, nisso acertaram, é político).
NÃO O PERMITIMOS EM ESTABELECIMENTOS NÃO-LGBT EM QUE HÁ MANIFESTAÇÕES DE HOMOFOBIA, PORQUE O PERMITIRÍAMOS EM SILÊNCIO NAQUELES QUE SE ANUNCIAM NOS GUIAS INTERNACIONAIS COMO GAY FRIENDLY? FRIENDLY?! FRIENDLY É A LIBERDADE E A NÃO-DISCRIMINAÇÃO. O CAFÉ LUSITANO É HOMOFÓBICO E DISTINGUE OS AFECTOS HOMOSSEXUAIS DOS HETEROSSEXUAIS. O CAFÉ LUSITANO QUE ESCOLHA A POLÍTICA QUE ENTENDER, POIS SEJA. NÓS JÁ ESCOLHEMOS A NOSSA HÁ MUITO TEMPO.

18 março 2008

Free Tibete - Get China Out


Concentração e Vigília - 4ªfeira, 19 Março
Em Lisboa, 19h, frente à Embaixada da R.P.C.: Rua de S. Caetano, 2, à Lapa
No Porto, 18h30, Praça dos Leões


Organização:
Grupo de Apoio ao Tibete
União Budista Portuguesa

CARAVANA em breve a passar numa livraria perto de ti

17 março 2008

Os Precários Não Se Calam !

A Precariedade Congela-nos a Vida

Sábado durante a tarde houve mais uma acção de antecipação do MayDay!! Lisboa, os precários saíram à rua e congelaram... foi às 15:30 frente ao Centro Comercial do Chiado, às 16 frente à Brasileira e às 16:30 frente ao MacDonald's do Rossio. Foram acções rápidas que congelaram os precários e as pessoas que passavam na rua que perguntavam o que se passava, algumas identificaram-se.
Fizemos isto porque a precariedade congela a vida de muitas pessoas, todos aqueles que não sabem se terão rendimento amanhã, na próxima semana ou daqui a seis meses, aqueles que são forçados a imigrar clandestinamente, trabalhar clandestinamente e viver clandestinamente, aqueles que são forçados a endividar-se perante a banca, aqueles que têm de esconder a sua orientação sexual. precariedade congela a vida dos que querem ter uma vida minimamente digna e não podem.
Fizemos isto porque a vida é poder, força, energia, reflexão, amor, ódio, imaginação e acção. E isto nunca poderá ser congelado.


O precariado rebela-se!!!

15 março 2008

Free TIBETE

14 março 2008

A nossa moral e a moral dos outros


PS quer proibir colocação de piercings na língua

O PS entregou hoje no Parlamento um projecto de lei que regula o funcionamento dos estabelecimentos que fazem tatuagens e aplicam 'piercings', passando a ser proibida a sua aplicação na língua.
Por outro lado, o projecto estabelece a proibição da aplicação de 'piercings', tatuagens e de maquilhagem permanente a menores de 18 anos.
Na exposição de motivos do diploma, subscrito, entre outros, pelo deputado e líder do PS/Porto Renato Sampaio, lê-se que a adopção de um regime para a instalação e funcionamento dos estabelecimentos de colocação de 'piercings' e tatuagens tem como principal objectivo a definição de um «quadro de referência de qualidade», que constituirá «factor de protecção dos consumidores e de informação dos profissionais».
Um «quadro de referência» que, é ainda referido, «seja proporcionador de mais segurança» para consumidores e profissionais.
Assim, e segundo o projecto de lei, apenas será permitida a aplicação de 'piercings' e a realização de tatuagens em «salões de piercings e salões de tatuagens», sendo, contudo, permitido 'furar as orelhas' em ourivesarias e joalharias, bem como realizar maquilhagem permanente em institutos de estética, aplicando-se nesses casos o regime agora previsto.
No projecto de lei que hoje deu entrada na Assembleia da República são igualmente definidos os requisitos dos adornos a utilizar na fase de cicatrização da ferida causada pela aplicação do 'piercings', nomeadamente a obrigatoriedade de serem hipoalergénicos, assim como dos adornos a utilizar após a fase de cicatrização.
Por outro lado, o projecto de lei proíbe a aplicação de 'piercings' na «língua e no pavimento da cavidade oral», na proximidade de vasos sanguíneos, de nervos e de músculos e sobre quaisquer tipos de lesão cutânea.
Será também proibido aplicar 'piercings' de prata e revestidos a ouro, e utilizar «pistolas de perfuração da orelha e da asa do nariz que não estejam higienizadas e equipadas com dispositivo descartável».
Relativamente às tatuagens, o projecto de lei estabelece que as tintas a usar devem ser «estéreis», sendo que as embalagens dos preparados de tintas devem estar devidamente rotulados.
«Nas actividades de tatuagens e de maquilhagem são apenas permitidas agulhas estéreis, de uso único e descartável», é ainda referido.
Por último, passa ainda a ser obrigatório que o pessoal técnico informe o consumidor «previamente e por escrito», sobre todos os procedimentos, natureza dos produtos a cujo contacto será submetido temporária ou permanentemente e possíveis consequências da realização de uma tatuagem ou colocação de 'piercing', «dando-lhe oportunidade para que possa reflectir acerca do assunto».

Fonte:LUSA

13 março 2008

Da obscuridade bafienta do Vaticano eis que surgem novidades


...ou não!

Não são novidades porque são somente uma afirmação formal do que tem vindo a ser a linha de pensamento e de actuação da Igreja Católica. Não importa quantas pessoas morrem infectadas com vírus da SIDA e mesmo as que morrem de fome basta uns apelos para fazer bem à imagem das instituições. Mas gosto particularmente do novo pecado da riqueza desmesurada...passam-me tantos nomes pela cabeça mas há um que surge no topo. Ironia das ironias o feliz contemplado deste pecado é nem mais, nem menos que a instituição que inventou estes novos pecados.

A nova lista foi publicada no jornal ‘Osservatore Romano’, órgão oficial da Santa Sé, e atesta que o pecado passa a ter uma dimensão mais social do que, como até aqui, individual.
Aos tradicionais “sete pecados capitais”, soberba, avareza, luxúria, ira, gula, inveja e preguiça, tem de se acrescentar os novíssimos, pedofilia, poluição do meio ambiente, aborto, tráfico de droga, riqueza desmesurada e manipulação genética.
Esta actualização dos pecados mortais (há também os veniais, ou seja, faltas consideradas leves) consta já do novo Catecismo da Igreja Católica, que teve ainda a chancela do Papa João Paulo II, embora sem uma definição precisa e ordenada.
A evolução científica e tecnológica dos últimos anos e a inexorável globalização, obrigaram Bento XVI a clarificar as novas atitudes humanas que podem levar o homem à condenação eterna.
À cabeça aparece a pedofilia, crime considerado hediondo e que, inclusive, tem afectado a própria Igreja, sobretudo nos Estados Unidos e ao mais alto nível, seguida do aborto, discussão quase universal nos últimos tempos, e da manipulação genética, com destaque para as experiências com embriões.
Depois vem o tráfico de droga, drama do Mundo inteiro que, segundo o Vaticano, “destrói vidas e famílias”, e a poluição ambiental, tema próprio dos tempos modernos. O Bispo regente do Tribunal da Penitenciária Apostólica, D. Gianfranco Girotti, manifestou a preocupação perante as novas formas de mal social que se manifestam na cultura globalizada dos nossos dias.

PECADOS ANTIGOS
1 Soberba
2 Avareza
3 Luxúria
4 Ira
5 Gula
6 Inveja
7 Preguiça

PECADOS NOVOS
1 Pedofilia
2 Aborto
3 Manipulação genética
4 Tráfico de droga
5 Riqueza desmesurada
6 Poluição ambiental


Vale também ler, a propósito desta actualização, um artigo do Bruno Maia dos Médicos Pela Escolha

Queixas de violência doméstica aumentam....

O número de denúncias de violência doméstica continua a aumentar de ano para ano, ao contrário de outro tipo de crimes. Os dados constam do relatório de segurança interna de 2007, a que o Diário de Notícias teve acesso. Em 2007,registaram-se quase 22 mil crimes de violência doméstica, um aumento de 6% relativamente ao ano anterior, sendo que 80% das vítimas são mulheres. Para o sub-intentendente Luís Elias, do departamento de operações nacional da PSP, "este aumento não só tem a ver com a maior sensibilização das vítimas para os seus direitos, como reflecte também um investimento grande na formação dos elementos que trabalham esta área. A polícia investiu muito para que o atendimento fosse realizado de outra forma e as situações bem encaminhadas". Estes dados reflectem aquilo que já tinha sido confirmado ao DN, na semana passada, pelo responsável do Gabinete Coordenador de Segurança (GCS), tenente-general Leonel de Carvalho: "A violência doméstica é uma das excepções neste relatório, já que foi dos crimes que mais aumentou." O mesmo aconteceu em 2006, em que a subida relativamente a 2005 ainda foi mais significativa, contrariando a tendência de descida da criminalidade geral e até da violenta. As mulheres constituem o maior grupo de vítimas, mais de 80%. Os homens não atingem ainda os 15% deste total. Contudo, em quase 90% dos casos são o elemento agressor. Os idosos começam a fazer parte dos grupos que mais sofrem com este tipo de violência. Apesar do grande número de queixas, a média das detenções da PSP é de 111 por ano, sendo que grande parte dos detidos acaba por sair em liberdade com termo de identidade e residência.

Workshop Fotografia - Porto


Vai decorrer no Ateneu Comercial do Porto um workshop de fotografia com a duração aproximada de 50 horas em horário pós laboral (19h às 21h), duas vezes por semana e com o custo de €65 na totalidade. Pedro Ferreira será o formador de um programa onde se pretende abordar técnica e prática da fotografia mas também um pouco de história e conceitos.
O inicio está previsto para 1 de Abril

As inscrições estão abertas para: geral@ateneucomercialporto.pt
ou 22335410/2

Mais informações podem ser obtidas, brevemente, no site do Ateneu em Ateneu Comercial do Porto - website

12 março 2008

Conselhos úteis ou como passar belos momentos num restaurante...


Já se sabe que as entradas se não forem pedidas não se pagam... é sempre bom ter algo que nos entretenha!

Se a moda pega....


Em França está a tornar-se moda não apertar a mão ao Presidente. Eu concordo, não pode haver maior hipocrisia que não gostar de um politico e ter que estar todo sorrisos e palmadinhas só porque está em campanha ou a passear com a comunicação social.

Enquanto isso na politica a sério

A esquerda foi vitoriosa no primeiro turno das eleições autárquicas do último domingo em França. Em números ainda provisórios, as listas da esquerda obtiveram 47% dos votos, contra 45% para a direita, reflectindo a queda da popularidade do presidente Nicolas Sarkozy, ao fim de dez meses de governo. À "esquerda da esquerda", a LCR considera ter tido "um resultado histórico".
O líder do Partido Socialista, François Hollande, declarou que a esquerda está "orgulhosa" dos resultados e espera um voto "sancionatório" da direita na segunda volta.
Já a União para um Movimento Popular (UMP, de Sarkozy) classificou a primeira volta de "pequeno revés". A extrema-direita da Frente Nacional, de Jean-Marie Le Pen, confirmou uma substancial perda de base eleitoral.
Os comunistas, por seu turno, conservaram os bastiões na região da capital e cimentaram posições em cidades de média dimensão como Dieppe (noroeste).

"O melhor resultado da história da LCR"

A LCR de Olivier Besancenot obteve "o melhor resultado da sua história", com mais da metade das suas listas a superar os 5%, e algumas a ultrapassar os 10%, podendo assim pesar no resultado do segunda volta. Das 200 listas apresentadas pela Liga Comunista Revolucionária, sob a sua própria sigla ou em aliança com outras correntes de esquerda, 109 superaram os 5%, e 29% superaram os 10%. A LCR elegeu 69 candidatos na primeira volta, mais do dobro das eleições precedentes. "Trata-se de um resultado histórico, sem precedentes para a LCR, num escrutino municipal", disse à agência AFP François Sabado, dirigente da organização.
Para a segunda volta, a LCR não tem indicação nacional de voto, sendo o seu princípio-base "derrotar a direita". Onde as suas listas ultrapassaram os 5%, e onde a esquerda não faça aliança com o Modem (centro), as listas da LCR podem propor uma "fusão técnica", sendo que os eleitos da LCR "recusarão qualquer participação na maioria municipal mas votarão as medidas que lhes parecerem ir no bom sentido."

Fonte:Esquerda.Net

11 março 2008

O pintor morreu... as tintas finais de um lutador


Aos 78 anos de idade, faleceu Rogério Ribeiro, artista especializado em pintar para o PCP, partido a cujo Comité Central pertenceu. Nas decorações da “Festa do Avante” e nas ilustrações da literatura editada pelo PCP, Rogério Ribeiro empenhou o seu talento pictórico e militante, sendo o seu estilo pessoal facilmente identificado pela forma repetitiva e com exaltação monocórdica como se exprimia, tendo contribuído para a uniformização burocrática do imaginário da vida militante dos comunistas.

Saúde para Tod@s - assinar não dói !


A petição em defesa do Serviço Nacional de Saúde e pelo fim das taxas moderadoras continua a recolher apoios em todo o país. A saída de Correia de Campos do governo foi uma boa notícia para o SNS mas são as políticas que têm de mudar, e não apenas a cara dos responsáveis.

Assine esta petição

Esta petição tem como primeiros signatários o fundador do SNS António Arnaut, os deputados Manuel Alegre e João Semedo, o bastonário da Ordem dos Médicos Pedro Nunes e o ex-bastonário dos farmacêuticos e antigo presidente do Infarmed, José Aranda da Silva. Entre as assinaturas recolhidas encontra-se a da bastonária da Ordem dos Enfermeiros Augusta Sousa, do presidente do SIM Carlos Arroz, da arquitecta e vereadora da CML Helena Roseta, e dos sindicalistas Ulisses Garrido, António Chora e Kalidás Barreto, entre mais de cinco mil pessoas que já assinaram a petição na internet.

A petição quer obrigar o parlamento a tomar as "decisões políticas necessárias ao reforço da responsabilidade do Estado no financiamento, na gestão e na prestação de cuidados de saúde, através do SNS geral, universal e gratuito".
30 anos depois da criação do Serviço Nacional de Saúde, ele cobre hoje menos população do que em 1979, graças à entrega aos privados de uma importante quota de mercado. A saúde é um negócio apetecível e o SNS é a única garantia de que os portugueses, independentemente dos seus rendimentos, terão o mesmo acesso a cuidados de saúde de qualidade.

Assine esta petição.
Ajude-nos a defender o SNS. A sua voz conta.

Página da campanha:
Saúde Para Todos

10 março 2008

Refugiados no Sul, barreiras no Norte


No âmbito dos encontros regulares realizados em parceria com o Instituto Franco-Português destinados a promover o debate sobre artigos do Le Monde diplomatique comuns à edição original francesa e à edição portuguesa, este mês propomos a discussão em torno da reportagem de Philippe Rekacewicz «Refugiados no Sul, barreiras no Norte» da edição de Março. Poderá ler um excerto desta reportagem no sítio Internet do jornal. Sobre o mesmo tema, poderá também ler o artigo inédito da autoria de Jean Ziegler, «Os refugiados da fome».
A gravíssima situação com que se confrontam as populações de muitos países em vias de desenvolvimento gerou, ao longo dos últimos anos, deslocações em massa de refugiados. Em função das barreiras que são colocadas pelo Norte desenvolvido, a concentração de refugiados dá-se sobretudo nos países do Sul, o que cria um cenário de extrema precariedade que dificulta a resposta humanitária.

O debate contará com a presença da jornalista Diana Andringa, de Fernando Nobre, presidente da Assistência Médica Internacional e de Mónica Ferro, da Associação Portuguesa das Nações Unidas, e terá lugar na zona do bar do Instituto Franco-Português no dia 12 de Março, quarta-feira, a partir das 21h30.

Médicos Pela Escolha já tem blogue a funcionar


A Associação Médicos Pela Escolha é uma associação sem fins lucrativos, sem filiação partidária ou sindical. É composta por profissionais das áreas da saúde – médicos, enfermeiros, psicólogos, profissionais das tecnologias da saúde, investigadores nas áreas da saúde – e colaboradores de áreas diversas.
Tem por objecto promover a defesa dos direitos sexuais e reprodutivos em Portugal e o direito à escolha informada e medicamente assistida na Saúde Sexual e Reprodutiva.
Tem como áreas de intervenção a Educação Sexual e Planeamento Familiar, a Interrupção Voluntária de Gravidez, a Procriação Medicamente Assistida e Sexualidades – Identidade de Género e Orientação Sexual. Quer promover a igualdade de direitos e oportunidades independentemente do género e da orientação sexual de cada um.
Organiza e apoia acções de divulgação científica na área da saúde reprodutiva e contribui para a promoção de legislação e políticas que garantam o exercício dos direitos humanos nos campos da reprodução e sexualidade.

Para visitar o blogue clique aqui

07 março 2008

MARCHA PACÍFICA DE PROTESTO CONTRA A VIOLAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS NO TIBETE POR PARTE DA CHINA


No próximo dia 10 de Março, aniversário da revolta do povo tibetano, em 1959, contra a ocupação e repressão chinesa, serão realizadas marchas pacíficas e acções de protesto em todo o mundo, exigindo o respeito pelos direitos humanos no Tibete, o reconhecimento do direito do povo tibetano à autonomia, a libertação dos presos políticos por parte da China, país que procede a um genocídio étnico e cultural no Tibete e que viola brutalmente os mais elementares direitos de homens e animais.
Estas acções acontecem também no dia em que começará a marcha pacífica de regresso de muitos tibetanos ao Tibete, a partir de Dharamsala, na Índia, inspirada na Marcha do Sal promovida por Gandhi. Estas acções não são contra o povo chinês, mas apenas contra a política do actual governo chinês, que oprime o seu próprio povo e não está à altura da sua grande tradição cultural, onde avultam os valores da milenar sabedoria confucionista, taoista e budista.
Cabe aos portugueses, com uma tradição de humanismo universalista, que tanto se mobilizaram por Timor e que recentemente tão bem receberam Sua Santidade o Dalai Lama, não permanecerem indiferentes a esta nem a nenhuma forma de opressão existente no mundo.
Vimos por isso convidar todos a aderirem à MARCHA PACÍFICA DE PROTESTO que se realizará no dia 10 DE MARÇO, 2ª feira, com concentração na Praça dos Leões, pelas 18.30, de onde seguirá para a Avenida dos Aliados, Sta.Catarina e de seguida para a Praça da Batalha.
Convidamos também todas as associações cívicas e humanitárias a aderirem a esta manifestação.


CONTAMOS COM A SUA PRESENÇA ! DIVULGUE ESTA INICIATIVA !
Não permaneça cúmplice, pela indiferença e pela abstenção, desta e de outras injustiças que há no mundo


Sugestão:
Caso tenha bandeiras, camisolas ou algo alusivo ao Tibete e a sua libertação, queira por favor levar para a Marcha pacífica. Possíveis cartazes com palavras de ordem : Tibete Livre , Pelos Direitos Humanos e Paz no Tibete, também são bem recebidos.

A vergonha continua (um post revisitado)

O post foi retirado a pedido do autor da queixa por motivos de ordem pessoal que se prendem com segurança do seu posto de trabalho.
Como a queixa não deve morrer e é importante que as coisas continuem a rolar, fica o texto original e os comentários já sem identificação.
Continuem a comentar porque seria uma pena perder este entusiasmo em torno deste assunto.


Eu sou funcionária do Instituto de Segurança Social, IP desde 2001 com um contrato individual de trabalho. Desde 2001 nunca fui a concurso, nunca subimos na carreira, nem nunca tivemos estatuto.
Em 17-09-2007 para o contentamento de todos os funcionários do contrato individual de trabalho (CIT) abriram vários concursos, entre os quais aquele a que fui opositora: recrutamento interno para ingresso na carreira de Apoio Geral - técnico superior da segurança social, destinado ao preenchimento de 40 vagas nas referências A,B,C e D.
Para a minha referência que seria a C (licenciatura em psicologia, Sociologia, Acção social/ serviço e segurança social) abririam 20 lugares num total de 40 vagas para todas as outras referências.
Como podem verificar na carta abaixo transcrita, reservando a identidade da directora de departamento dos recursos humanos do ISS, IP de Lisboa, podemos verificar que foi feito um aditamento de 45 vagas ás iniciais 40 o que significa que não seriam 40 vagas mas sim 85, o que significa que a minha referência passou de 20 vagas para 37.
Quando saem as listas provisórias em Dezembro de 2007, NOTEM BEM DEZEMBRO DE 2007, obviamente saíram as 85 vagas. Estando eu em 34º lugar seria requalificada para técnica superior. Todo este processo deveria estar concluído até Dezembro de 2007, para que obviamente entrasse no orçamento desse ano.
Quando saem as listas provisórias em Dezembro de 2007, NOTEM BEM DEZEMBRO DE 2007, obviamente saíram as 85 vagas. Estando eu em 34º lugar seria requalificada para técnica superior. Todo este processo deveria estar concluído até Dezembro de 2007, para que obviamente entrasse no orçamento desse ano.

Este alargamento, que nunca mencionou qualquer condicionalidade, levou à convicção de que, estando o candidato classificado e dentro das 85 vagas já referidas, não estaria sujeito a qualquer circunstância futura e incerta. Deste modo da informação acima mencionada, os candidatos a concurso, fundadamente, confiaram na existência de 85 lugares a concurso, prescindindo assim de qualquer reclamação/exercício do direito de pronúncia, atempadamente, ou seja, nos 10 dias úteis posteriores à data de publicitação da lista provisória.
Em 03 Março de 2008, apenas nesta data é enviado um e-mail com o teor abaixo descrito, dizendo que: “Encontrando-se a lista de classificação final do supra referido processo para homologação, é de alertar que, em face das actuais disponibilidades financeiras, aferidas de acordo com o artigo 119.0 do Orçamento de Estado para 2008 e verificada a necessidade de abertura de novos concursos, em especial para funcionários públicos, não é possível manter, nos mesmos moldes, a decisão de acréscimo de vagas.”
Saindo nesse mesmo dia a listagem final dos opositores ao concurso.

Caríssimos leitores, simpatizantes, irmãos, amigos, desconhecidos, camaradas e trabalhadores
Isto é um ultraje!!!


JC o meu comentário seria: "e isto é notícia porquê?". até teria piada a tirada, por ser um assunto corriqueiro, banal e diário, se não fosse escandaloso isto acontecer em todo o lado sem que haja mecanismos que nos permitam impedir o prolongamento das políticas de marketing deste governo.

1:43 AM
Blogger Alcino Lameiras disse...

Não há dinheiro! Não há dinheiro! Não há dinheiro!!! será preciso dizer em maiúsculas? ok. NÃO HÁ DINHEIRO! NÃO HÁ DINEIRO! NÃO HÁ DINHEIRO!!!

5:11 AM
Blogger (removido a pedido da própria pessoa) disse...

É notícia porque aconteceu e enquanto não nos fizermos ouvir, vai continuar a acontecer. E se sabemos que assim é e que assim aconteceu, então façamos notícia, quanto mais para sermos ouvidos.

Sim Alcino Lameiras e há dinheiro para pagar as vagas de assessore que tem um ordenado superior a 2000 euros, quando todos sabemos que de assessores ninguem precisa.
Porto tem técnicos a exercer funções técnicas há anos sem receberem mais e o dinheiro dos assessores dava mt bem para pagar aos técnicos superiores
Falta de dinheiro é a desculpa fácil.

10:13 AM
Blogger Alcino Lameiras disse...

Volto a dizer: Não há dinheiro. E não se trata de desculpa fácil. A falta de dinheiro é uma questão de objectividade.
Para pessoas trabalharem Estado, onde não se produz riqueza, é necessário haver outra que trabalhe fora do Estado, onde se produz riqueza. O raciocínio é bastante simples: para se pagar ordenador, é necessário produzir dinheiro para esses mesmos salários serem pagos.
O ideal seria, portanto, que qualquer trabalho produzisse riqueza suficiente para todo o português se pagar a si próprio. Claro está que existem trabalhos que não produzem essa mesma riqueza e que à mesma precisam de existir (por exemplo, os funcionários públicos não produzem riqueza mas têm de existir). Porém, quem está nessa situação deve perceber que está a viver dos outros portugueses, pelo que devia ter pudor em pedir (ou aceitar) privilégios desnecessários que acabarão, mais cedo ou mais tarde, por recair sobre os ombros dos seus concidadãos.

Fala-me em ordenados superiores a 2000 euros, isso ainda é um escândalo maior, e é sobre esses (e não sobre quem tenta controlar a despesa) que todos nós devemos canalizar a nossa indignação.

Repare: esses 2000 euros por mês vêm de algum lado. De facto vêm dos impostos dos cidadãos e das empresas. Ora, se o Estado apertar essas empresas (para pagar os tais 2000 euros/mês), essas empresas vao ter de poupar e apertar os seus funcionários. É por isso que, quanto mais houver pessoas no Estado a ganhar 2000 Euros, mais haverá jovens recém licenciados a ganhar 250 Euros ou mesmo 0 Euros. O dinheiro tem sempre de vir de algum lado. Dizer que o dinheiro é uma desculpa fácil é cuspir na cara de quem passa dificuldades sérias e é cuspir na mão que vos dá de comer.

Entretanto, o facto de assessores inúteis ganharem mais de 2000 euros não devia ser desculpa para ninguém reclamar os seus pseudo-direitos (isso sim, é uma desculpa fácil!)
Se ganham 2000 euros só são ainda mais escandalosos. Lutem contra eles, acabem com esses privilégios. Querem dinheiro, criem-no. Sejam úteis. Vão trabalhar.
Façam esse serviço ao país.

3:39 AM
Anónimo lamadas disse...

olha oh alcino lamaeiras podes pegar nesse discurso de merda e enfiar o teu cartão do PS pela ranhura acima...deves ter um rico emprego e um rico salário para falares assim porque se trabalhasses no duro, recebesses o mesmo salário à 6 sem ser aumentado enquanto o custo de vida aumenta todos os anos não falavas assim....

11:34 AM
Blogger Alcino Lameiras disse...

Ó lamadas, podes pegar na tua presunção de merda e enfiá-la pela ranhura acima. Serás o único a enfiar qualquer coisa na ranhura, porque eu não tenho nenhum cartão do PS. E porquê? porque não sou do PS. Aliás, nem tenho partido.
Ao contrário de ti passei este último ano desempregado, no duro, mas tu não sabes o que isso é, não sabes o que é olhar para a carteira e ter 0 euros, ser profissional, competente e ter de pedir dinheiro aos amigos (para comer). Não sabes o que isso é pq trabalhas para o Estado onde as verdadeiras tribulações são 'não ser aumentado', 'nao subir na carreira', etc, etc.
Vocês andam a gozar com o país, com os vossos próprios compatriotas. E se há miséria neste país, é porque há também muito privilégio. Para alguém receber salário sem trabalhar, outro alguém tem de fazer trabalho escravo; porque - volto a repetir - o dinheiro não cai do céu!
Não entendo como é que vocês recebem o vosso ordenado de consciencia limpa, sabendo que não se pagam a si próprios, sabendo quem, se não existissem, a máquina funcionava à mesma (melhor: pesava menos). Não entendo como é que, em vez de vocês colaborarem para acabar de vez com a mega-chulice (ainda maior que a vossa) dos altos cargos ou assessores políticos a ganharem balúrdios, se aproveitam dessa situação para argumentarem a vosso favor, tentando manter, ou até aumentar, os vossos privilégios absolutamente imorais tendo em conta a miséria e o país real.

Vocês devem achar que as verdadeiras vítimas vão estar sempre caladas, é. Pois fica sabendo que não.

6:05 PM
Blogger (removido a pedido da própria pessoa) disse...

Lameiras, sem querer estragar o teu discurso lógico e toda a tua revolta, que é justa, tens que te informar melhor sobre o que se passa na segurança social que se não sabes agora é IP e que desde que entramos em 2001(tens que ler o post todo) foi com um contrato individual de trabalho o que significa que TAL COMO TU descontamos para o regime geral, ou seja produzimos riqueza para o país.
Essa ideia de são vocês que nos pagam o ordenado está incutida no cidadão comum, pensei que serias um jovem mais informado sobre o que se passa no teu país. E estando neste blog sempre pensei que para além daquilo que te dão nos orgãos de comunicação social te fosses informar em outras fontes.
Mas sem querer destruir toda a tua ideologia, e para isto é mesmo só importante que saibas que somos um trabalhador como tu, não temos adse, não temos atestados e principalmente NÃO ÉS TU QUE NOS PAGAS O SALÁRIO, sou eu mesma que trabalho, MUITO, sem regalias nenhumas e pago o meu salário e o de muita gente tal como tu.

DEvido á minha ausência nos próximos tempos não me encontro no porto mas responderei com muito agrada quando voltar aos teus comentários.

1:06 PM

06 março 2008

"E-relações" / "E-divórcios" = E-que é que é isto ???


O fundador da Wikipédia, Jimmy Wales, terminou o namoro com Rachel Mardsen utilizando uma página da própria enciclopédia online. Em seguida a mesma entrou no eBay e anunciou o leilão das roupas que o ex-namorado deixou no apartamento dela e que não irá, de certeza, voltar para as buscar.

O que é que se passou aqui...!!!
Ele há coisas FANTÁSTICAS não há ?

Portugal, sim ou não ? A Justiça em debate


A JUSTIÇA
com José Miguel Júdice e José Gomes Canotilho
Moderador: Sofia Pinto Coelho

6 de Março
das 22:00 às 23:30
AUDITÓRIO - Serralves


Justiça! Queremos justiça! Esta parece ser a exigência mais básica de uma sociedade. É de resto a justiça, o grande organizador da mesma sociedade, a sua instância legitimadora. Desde a Carta Magna que é a Constituição até à mais óbvia exigência dos cidadãos: uma justiça célere. Mas Portugal parece atrasar-se ao ritmo do atraso dos seus processos. No momento em que a mediatização da Justiça atingiu níveis históricos (e histéricos), envolvendo figuras públicas e públicos conflitos, importa perguntar qual o seu estado.

05 março 2008

MARCHA DA INDIGNAÇÃO - VAMOS LUTAR !!!


VAMOS LUTAR!
DIA 8 de MARÇO VAMOS TODOS PARA LISBOA


Marcha da Indignação - 14 horas
ATENÇÃO:
Novo local de concentração:
A previsão de um elevadíssimo número de participantes obrigou à alteração do local de concentração e ao percurso previsto - a Marcha iniciar-se-à no Marquês de Pombal e seguirá para o Rossio

Inscreve-te para: movimentoprofessoresrevoltados@gmail.com

04 março 2008

Nubrella... ella, ella...eh eh eh


Não, não é o novo êxito da Rhianna... mas podia ser até porque não anda muito longe...

Curiosos ???
Mas o que é o Nubrella?

Não tens onde morar... este país não é para jovens !!!


Hoje em dia, os jovens que terminam os seus estudos e ingressam no mercado de trabalho deparam-se com um clima económico e leis de trabalho extremamente hostis, vendo-se lançados para o trabalho precário, mal remunerado, muitas vezes a recibos verdes, sem qualquer hipótese de conseguírem uma estabilidade profissional e financeira mínima para se poderem emancipar. Estas adversidades, cada vez mais acentuadas, que colocam o jovens numa situação de extrema precariedade, são prejudiciais para toda a sociedade. Todo o esforço investido na educação e preparação dos jovens para a vida adulta activa é colocado em risco por não existirem meios que permitam aos jovens a concretização do seu potencial. É tendo em vista estes graves problemas que o Estado deve desenvolver políticas de apoio aos jovens, criando condições para que estes possam exercer plenamente o seu papel na sociedade. Uma sociedade sem jovens é uma sociedade sem presente nem futuro.
Os jovens portugueses estão fartos de ser tratados como cidadãos de segunda e exigem seriedade aos seus governantes. Criticado por todos os partidos da oposição e desmascarado sistematicamente pelo Movimento Porta 65 Fechada, o Porta 65 Jovem é um programa condenado ao fracasso. Exemplo disso é o facto de, das cerca de 20 mil candidaturas esperadas pelo Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana, responsável pela gestão do projecto, apenas terem sido recebidas cerca de 3500, apesar do prazo ter sido prolongado duas vezes devido a falta de candidaturas efectivas. Sem surpresas, o movimento Porta 65 Fechada aponta o motivo: critérios de pré-selecção absurdos.

Acabam de ser publicados os resultados do primeiro período de candidaturas ao programa de Porta 65, o programa de arrendamento jovem que substituiu o IAJ (Incentivo ao arrendamento jovem). De 3.561 candidaturas analisadas pelo IRHU (Instituto de Habitação e da Reabilitação urbana) apenas 1554 receberam subsídio. Foram rejeitadas mais de 2000 candidaturas, para além dos milhares de jovens que foram impedidos de concorrer pelas restritivas regras do Porta 65.

Os resultados foram publicados em www.portaldahabitacao.pt


03 março 2008

Fica este beijo para mais tarde.....


A escritora Maria Gabriela Llansol faleceu hoje, aos 76 anos, na sua casa em Sintra, cerca das 7h30. De ascendência espanhola, nasceu em Lisboa e a sua carreira literária iniciou-se com "Os Pregos na Erva" (1962), obra que para alguns inaugurou uma nova forma de escrever.
Maria Gabriela Llansol ganhou por duas vezes o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores (APE). Da segunda vez, foi a obra “Amigo e Amiga” que lhe valeu o prémio relativo a 2006, atribuído por um júri composto por Ana Mafalda Leite, Cristina Robalo Cordeiro, Fernando Pinto do Amaral, Luís Mourão e Silvina Rodrigues Lopes.
A autora é considerada uma das mais inovadoras escritoras da ficção portuguesa contemporânea e tem títulos como “A restante vida” (1978), "Um beijo dado mais tarde" (1990) e “Lisboaleipzig” (1994), entre outros.

Fonte:Público

Este país não é para velhos....


Há 112 idosos por cada 100 jovens em Portugal.
A tendência de envelhecimento da população continua a crescer desde 2000, ano em que o número de idosos suplantou o número de jovens. A população jovem (indivíduos com menos de 15 anos) diminuiu face a 2005 e o número de idosos (65 ou mais anos) aumentou para 17,3%. O índice de envelhecimento passou de 110 idosos por cada 100 jovens em 2005 para 12 idosos por cada 100 jovens em 2006.

Os aumentos das pensões em 2008 foram muito baixos: o aumento médio variou entre 16 cêntimos e 1,67€ por dia.

MAS PARA OS JOVENS TAMBÉM NÃO ESTÁ FÁCIL...

De acordo com os valores do INE (Instituto Nacional de Estatística), a taxa de desemprego face ao ano anterior subiu, encontrando-se mais uma vez o país na cauda da Europa, expressão há muito por nós conhecida, e infelizmente sempre pelos aspectos mais negativos. Desta vez também não foge à regra, pois de entre os 27 estados membros da União Europeia, trata-se de um dos 5 que registam o maior nível de desemprego, encontrando-se em situação mais precária apenas a Eslováquia, Polónia, França e Espanha.
De entre a população que se encontra nesta situação, é de realçar que a maior parcela, cerca de 54 mil desempregados, cai sobre os jovens licenciados.

PRETA E SOLTEIRA - vão logo todos de cauda a abanar !


Procuro companheiro macho, a origem étnica não é importante. Sou muito boa fêmea e adoro BRINCADEIRAS. Gosto muito de passeios nas matas, gosto de andar de jeep, de viagens para caçar, acampar e pescar, de noites de
inverno aconchegadas junto à lareira. Jantares à luz de velas fazem que vá comer-lhe à mão. Quando voltar a casa do trabalho esperá-lo-ei à porta, vestindo apenas o que a natureza me deu. Telefone para 218756420 e pergunte pela Micas. Aguardo notícias suas...


RESULTADO DO ANÚNCIO:
Mais de 15.000 homens deram por si a telefonar para a Sociedade Protectora dos Animais - Secção de Caninos....

02 março 2008

PENSAMENTO CRÍTICO CONTEMPORÂNEO


SEMINÁRIO DE INTRODUÇÃO
FÁBRICA BRAÇO DE PRATA
MARÇO/MAIO 2008
SÁBADOS das 17H-20H

O seminário pretende mapear algumas das principais problemáticas que desafiam um pensamento crítico contemporâneo. Para este efeito, ao longo das diferentes sessões, serão discutidas propostas de intelectuais cuja reflexão tem motivado importantes debates políticos (ver programa em baixo). O seminário destina-se ao público em geral. Mediante inscrição serão disponibilizados materiais comuns de leitura, dispensando-se qualquer tipo de formação académica prévia.

Inscrições: cursopcc@gmail.com
Tel.: 213 536 054 (Atenção: Lugares limitados)

Preço do Curso: € 25,00 | € 15,00 para estudantes
Acesso a todas as sessões e a materiais de leitura
Preço por Sessão Avulso: € 4,00

8 MARÇO >>

A Arte de Governo em Michel Foucault - Jorge Ramos do Ó (FPCE-UL)
Benedict Anderson e os Estudos sobre Nacionalismos - João Leal (FCSH-UNL)

15 MARÇO >>

E.P.Thompson e a Cultura Plebeia Fátima Sá (ISCTE)
Debord e o Estranho Jogo da Internacional Situacionista Ricardo Noronha (FCSH-UNL)

29 MARÇO >>

Gilles Deleuze e a Micropolítica Nuno Nabais (FL-UL)
Alain Badiou: Pode a Política Ser Pensada? Bruno Dias (NÚMENA)

5 ABRIL >>

Do Feminismo a Judith Butler Miguel Vale de Almeida (ISCTE)
De Edward Said aos Estudos Pós-Coloniais Manuela Ribeiro Sanches (FL-UL)

19 ABRIL >>

Rancière e a Partilha do Sensível Manuel Deniz Silva (FCSH-UNL)
Fredric Jameson e o Marxismo Dialéctico Miguel Cardoso (Birkbeck College – Universidade de Londres)

10 MAIO >>

James Scott e a Força dos Fracos José Manuel Sobral (ICS-UL)
Bourdieu, Classes e Gosto Nuno Domingos (SOAS – Universidade de Londres)

17 MAIO >>

Giorgio Agamben e o Homo Sacer António Guerreiro (FL-UL | jornalista do Expresso)
Toni Negri e John Holloway: Comunismos pós-1989 José Neves (ICS-UL)

24 MAIO >>

Georg Simmel e os Estudos sobre Tecnologia José Luís Garcia (ICS-UL)
Jacques Derrida e a Política da Desconstrução Silvina Rodrigues Lopes (FCSH-UNL)

31 MAIO >>

Slavoj Žižek – Bem-vindos ao Deserto do Real Nuno Ramos de Almeida (comentador do RCP)
Dois Anarquismos, Chomsky e/ou Feyerabend Rui Tavares (EHESS-Paris | cronista do Público)