badge

31 outubro 2008

This Is Halloween

30 outubro 2008

Quando a máscara cai....


Um acérrimo defensor da extrema-direita portuguesa foi preso por auxiliar a entrada em território nacional de imigrantes ilegais, acção totalmente contrária aos ideais do partido em que está filiado. O homem explorava 30 prostitutas em quatro bordéis.
António Pereira Frazão nasceu na antiga República Federal da Alemanha e foi desde sempre um fervoroso adepto dos ideais de extrema-direita, estando mesmo filiado no Partido Nacional Renovador (PNR).
Frazão tinha quatro bordéis espalhados pela Grande Lisboa e tinha duas irmãs brasileiras, encarregues de vigiar as cerca de 30 prostitutas, a trabalhar para si.
O militante da extrema-direita está agora preso por lenocínio e auxílio à imigração ilegal. Foi o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras que o foi buscar a casa, em Belas, na zona de Sintra.
À mulher do membro do PNR cabia a tarefa de entrevistar as candidatas para os bordéis, tendo também sido acusada pelo Ministério Público.

29 outubro 2008

PARABÉNS...


pelos anos a prestar um bom serviço e pela prenda que não é nada má ;)

28 outubro 2008

A Arte de Jorge de Sena


A Livraria Poetria realiza uma sessão de poesia intitulada "A Arte de Jorge de Sena" no próximo dia 30 pelas 12,30, no Café Progresso.

Jorge de Sena, figura maior da literatura portuguesa, será revisitado através da sua imensa obra. Mas o Porto, as suas ruas e os seus plátanos também serão aqui convocados e uma vez mais tocados pela graça e a primordial voz da poesia.

Contaremos com a participação e testemunho de António Rebordão Navarro e Sérgio Lopes, sobrinho do poeta.

27 outubro 2008

Workshop de Fotografia - Porto


A fotografia não é só um trabalho ou “hobby”. O fotógrafo não é e não deve nunca ser encarado da mesma forma que muitas das outras profissões ou funções. Ninguém diz a um jardineiro para trazer sempre consigo uma forquilha ou a um cozinheiro não se pede que cozinhe em qualquer sítio. A função implica-se na vida da pessoa e acaba por se tornar em muitos dos casos num modo de vida. A fotografia não vive sozinha e como tal o melhor fotógrafo, ou será sempre melhor fotógrafo, aquele que melhor e mais rapidamente seja capaz de absorver conhecimentos paralelos e complementares. Desde a física e a química, desde o desporto à politica e nunca descurando um olhar atento sobre as coisas e os acontecimentos as melhores ferramentas que temos disponíveis são os nossos olhos e a nossa velocidade de reacção às situações. A melhor fotografia nem sempre é a fotografia mais bem focada e enquadrada. Os estilos e as técnicas são excelentes professores e auxiliares mas o génio reside na capacidade de quebrar as fronteiras da ortodoxia e reinventar.
Vivemos numa época de tecnologia, vivemos tempos onde o acesso às tecnologias é cada vez mais fácil, mas será isso um sinal de democratização dos meios e dos recursos? Nem sempre o acesso é igual a liberdade ou à escolha mais acertada. Que muitas pessoas têm acesso a máquinas fotográficas é verdade, desde os modelos mais simples aos mais complexos e mesmo os modelos profissionais estão hoje cada vez mais perto dos utilizadores comuns. Assim urge a necessidade de fazer chegar às pessoas as ferramentas e os métodos mais adequados para lidarem, conhecerem e explorarem o seu uso de material fotográfico. A importância deste tipo de formação está directamente ligada à necessidade de melhorar o conhecimento teórico na área mas também ajudar a criar autonomia de criação a quem mais se interessa pela fotografia.
A formação de criadores nesta área é também uma forma de criar públicos. Pessoas com alguma formação e dotadas de ferramentas técnicas de crítica serão melhores observadores, leitores mais atentos, públicos mais interessados. A atenção sobre as fotografias que vemos na imprensa, a forma de ver a publicidade e a moda e a busca do conhecimento de obras e autores será com certeza algo que mudará depois da frequência desta formação.

PROGRAMA DE FORMAÇÃO

- Introdução ao processo fotográfico
- Materiais e equipamentos
- Técnicas e aplicação
- Manipulação e tratamento de fotografias
- Trabalho de campo

CARGA HORÁRIA E DISTRIBUIÇÃO

- 28 horas de formação
- 7 horas de trabalho de campo e prática
TOTAL = 35 horas

Horário pós-laboral de duas horas diárias das 20h às 22h.

MAIS INFOS EM OLHAR PELA OBJECTIVA

26 outubro 2008

Jovens Jornalistas - Antes e Agora

23 outubro 2008

E no entanto continuam a deixa-la falar !!!


Sarah Palin de novo nos «holofotes da asneira»; numa entrevista recente, a Sra. Palin ao responder a uma pergunta de uma criança da escola primária sobre o papel vice-presidente, entusiasmou-se e respondeu que principal papel de um vice-presidente é o de chefiar o senado.

21 outubro 2008

Aquecimento Global

20 outubro 2008

Banksy Pet Store


Nova exposição de Banksy onde uma loja de animais invulgar foi mostrada a público. Aqui não existem cachorros nem gatinhos. Um leopardo parece descansar numa árvore na montra. Na exposição Village Pet Store and Charcoal Grill nem tudo o que parece é.
McNuggets do MacDonald's bicam num molho. Um coelho coloca maquilhagem. Uma câmara de vigilância cuida do seu "bebé",croquetes nadam em aquários enquanto cachorros quentes vivem em terrarios.
Esta é a primeira vez que Banksy utiliza "animação" ou robótica e o efeito é fenomenal.



Podem ver mais sobre o assunto e o resto dos vídeos aqui.

18 outubro 2008

What the F***** ???

1 000 Grãos de Arroz lançados


1000 posts

1000 ocasiões de comunicação
1000 vezes se escreveu aqui e 1000 vezes alguém desse lado viu, leu, falou, comentou...
Continua a ser um privilégio enorme ter sempre as vossas visitas e continua a ser a motivação para que com mais ou menos regularidade se vá escrevendo alguma coisa.
Em cerca de 2 anos e 1000 posts muita coisa mudou. As pessoas, os temas, o próprio Blogger mas depois de tanto tempo ainda não é altura de parar mas sim de continuar a mudar e a tentar mudar para melhor.

OBRIGADO ! ;)

17 outubro 2008

TRAMA - Festival de Artes Performativas


É a terceira edição de um festival apresentado em vários espaços da cidade, dedicado à divulgação de formas experimentais da criação performativa contemporânea e programado pela Fundação de Serralves, a MatériaPrima, o brrr_ Live Art e a produtora Lado B.

PARCEIROS: Culturgest, Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo,
Fábrica da R. da Alegria, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Hotel Dom Henrique, Maus Hábitos, Passos Manuel, Teatro Nacional de S. João, Câmara Municipal do Porto, Porto Lazer, Dragon Capital.

PROGRAMAÇÃO: Auditório de Serralves, Brrr, Lado B, Matéria Prima

ARTISTAS E PROJECTOS:
AUDIOBOMBER
BEN FROST
CATHERINE BAÿ
DIDI BRUCKMAYR
FABRIZIO PALUMBO & ERNESTO TOMASINI
FEDERICO LEÓN & MARCOS MARTÍNEZ
GD LUXXE
GISÉLE VIENNE
LUCKY DRAGONS
MÄUSE
MORITZ VON OSWALD [rhythm & sound, basic channel] feat. TIKIMAN
OSSO EXÓTICO
PEDRO TUDELA [dj]
PHILIPP QUEHENBERGER
REBEKAH ROUSI
RONALD DUARTE
SHIT & SHINE
SILVERIO
TÂNIA CARVALHO
WIPEOUT
YOU GO! [dj]

16 outubro 2008

Dia Mundial da Alimentação 2008: Vegetarianismo contra a Fome Global


Nos dias 7 e 8 de Outubro, a Comissão Europeia, o Parlamento Europeu e as Nações Unidas celebraram a comemoração da Declaração dos Direitos Humanos garantindo a todos o "direito a um nível de vida adequado à saúde, ao bem-estar pessoal e familiar, incluindo a alimentação".

Sessenta anos após a assinatura da declaração de boa-vontade, a FAO está a planear a celebração do Dia Mundial da Alimentação 2008 destacando "o desastre de 923 milhões de pessoas subnutridas no Mundo".

O que correu mal?
Porque razão é que a aproximadamente mil milhões de pessoas ainda lhes é vedado o mais básico dos Direitos Humanos no século XXI?
"Cada criança que morre de fome no mundo de hoje, é vítima de assassinato", acusa Jean Ziegle, relatora especial das Nações Unidas para o Direito à Alimentação. De facto, como é que uma sociedade pode autodenominar-se civilizada e aceitar que em todo o Mundo a cada 5 secundos uma criança morra de fome, enquanto 1,5 mil milhões de cabeças de gado bovino e um número astronómico de outros animais de quinta estão a ser alimentados com enormíssimas percentagens das culturas disponíveis?

Mais pessoas do que toda população dos EUA, Canadá e União Europeia não têm o suficiente para comer.
Apesar dos decisores nacionais e internacionais terem iniciado uma multiplicidade de projectos e campanhas de luta contra a fome, nada tem ajudado, muito pelo contrário! Esta situação tem, obviamente, aumentado e casos de miséria sem precedentes requerem novas e revigorantes estratégias para o qual o Vegetarianismo é uma solução.
Em nome da justiça e da humanidade, o actual desperdício de cerca de 7-16 quilos de grãos ou feijão de soja, cerca de 15,500 litros de água e cerca 323 m2 de terra cultivável para produzir apenas um quilo de carne não pode continuar.
23 de Setembro 2008 é o Dia do Limite (Overshoot Day): o marco em que a humanidade já usou todos os recursos que a natureza vai gerar este ano.
Se tivermos em conta que à escala global, nós temos actualmente necessidade de 1,4 planetas para apoiar o nosso estilo de vida, o Dia do Limite deveria ser um alerta para tanto para os políticos como para indivíduos em geral. Temos que, urgentemente, de diminuir a pegada ecológica da aldeia global.
Por isso, no interesse de um mundo mais humanizado e mais saudável, para as pessoas e animais, a redução e eliminação do consumo de carne é a forma mais fácil e mais benéfica que se apresenta.
O facto de não dispormos de recursos suficientes para alimentar toda a população mundial, não deve continuar a ser comprometido pela ganância do consumo de carne.

Subscritores:

European Vegetarian and Animal News Alliance (EVANA)
http://www.evana.org

Acção Animal, Portugal
http://www.accaoanimal.com

Associação Vegetariana Portuguesa
http://www.avp.eco-gaia.net

Bunny Huggers, UK
http://www.bunnyhuggers.org.uk

Association Végétarienne de France
http://www.vegetarisme.fr

Centro Vegetariano, Portugal
http://www.centrovegetariano.org

EVA vzw - Ethisch Vegetarisch Alternatief, Bélgica
http://www.vegetarisme.be

Globetransformer
http://www.globetransformer.org

Jewish Vegetarians of North America (JVNA), USA
http://www.JewishVeg.com

Romanian Vegetarian Society
http://www.svr.ro

Swiss Union for Vegetarianism
http://www.vegetarismus.ch

Vegan Society Austria
http://www.vegan.at

Yoga in Daily Life International
http://www.yoga-in-daily-life.org

Assine a petição "Comida vs Alimentação" – apele às Nações Unidas e às suas agências para pararem de ignorar o vegetarianismo e para estudarem os seus múltiplos benefícios com o objectivo de incorporá-los em estratégias futuras para o Mundo Sem Fome http://un.evana.org - (23 línguas)

15 outubro 2008

Bairro à Maneira na Ameixoeira


Promovida pelo Grupo Comunitário das Galinheiras e Ameixoeira, já vem sendo uma tradição a realização da Festa Comunitária da Ameixoeira. Este ano não vai ser excepção, e acontecerá nos dias 17 e 18 de Outubro na Casa da Cultura localizada na Quinta da Torrinha.
O projecto Interligar, para além de ser membros activo da organização da Festa, estará presente com uma banca, workshop de trabalhos manuais, Sketches de teatro sobre a discriminação, gingatones, dança e futebol:

CASA DA CULTURA DA AMEIXOEIRA (Zona 6A)

Dia 17 de Outubro: Das 10h às 13h
Dia 18 de Outubro: Das 14h às 18h

Transportes: metro Ameixoeira/ autocarro 106 (Lisboa

10 outubro 2008

Direitos não se discutem ! Adquirem-se e não se trocam por nada !


1º round
- Hoje assistimos a um dos momentos mais deprimentes da democracia portuguesa nos últimos 30 anos. O PS votou contra os projectos-lei do BE e d'Os Verdes que acabam com a discriminação legal de homossexuais no acesso ao casamento civil. E votou contra com uma declaração de voto onde se lê que "defende intransigentemente a igualdade dos direitos expressos na constituição e que não põe em causa o conteúdo programático dos diplomas". Portanto, o PS é favorável ao casamento entre homossexuais, concorda plenamente com o conteúdo dos projectos-lei que foram votados, reconhece a inconstitucionalidade da actual lei, admite tratar-se de matéria de direitos fundamentais mas votou contra.

2º round - Ana Catarina Mendes foi relatora de comissão nos projectos-lei que hoje baixaram a votação no plenário. E fê-lo escrevendo que é favorável ao projecto-lei do BE e que "até acha tímido" o projecto d'Os Verdes por proibir a adopção. Ana Catarina Mendes, grávida quase de termo, foi das mais ferozes defensoras do "sim" no último referendo à despenalização da IVG. Foi também uma das mais entusiastas "socialistas" defensoras das uniões de facto para homossexuais em 2000. Votou contra, não sabe muito bem porquê! Só sabe que é a favor!!

3º round - Na declaração de voto lê-se (mais uma vez) que esta causa dita "fracturante", não estava no programa de governo do PS. Outras reformas que não estavam no programa de governo do partido socialista: 1 - fecho dos SAP's e urgências no interior; 2 - "esta" avaliação dos professores; 3 - "este" regime jurídico das instituição do ensino superior; 4 - código do trabalho; 5 - ...

4º round - Afirma-se ainda (pela parte que ao PS toca) que é necessário um amplo debate na sociedade antes de se avançar com a aprovação de tais projectos. Outros projectos que necessitavam de debate amplo na sociedade (e não o tiveram ou até o tiveram e foram maioritariamente rejeitados): 1 - fecho dos SAP's e urgências no interior; 2 - "esta" avaliação dos professores; 3 - "este" regime jurídico das instituições do ensino superior; 4 - código do trabalho; 5 - ...

5º round - O PS reconhece tratar-se de matéria de direitos fundamentais e concorda com os projectos-lei, mas acusa-os de serem "oportunistas". Portanto, ser oportunista é legislar sobre algo com o qual estamos de acordo.

6º round - Sócrates foi reeleito secretário-geral do PS com um programa onde explicitava que pretendia acabar com as discriminações legais em matéria de (...) orientação sexual (...). Isto já em 2007, 2 anos após a elaboração do seu programa de governo. Hoje votou contra porque "não constava do programa de governo".

7º round - Sócrates e a direcção do PS consideram que este não é um assunto suficientemente debatido na sociedade. Ignora que existam marchas do orgulho LGBT em Lisboa desde 2000 e no Porto desde 2006; ignora que há 10 anos atrás foi a juventude do seu próprio partido que lançou um grande debate nacional a propósito da lei das uniões de facto; ignora que nas últimas presidenciais todos os candidatos tiveram de se pronunciar sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo; ignora que existem já em Portugal incontáveis estudos no meio académico relativos à orientação sexual; ignora todos os casos públicos que nos últimos anos fizeram os Portugueses discutir o tema (Teresa e Helena, assassinato da Gisberta,...); ignora a vida quotidiana dos portugueses que vivem, trabalham, conhecem, contactam diariamente com homossexuais e partilham da sua realidade; Sócrates e Alberto Martins têm de mostrar publicamente o seu "debatómetro" para todos percebermos qual o nível de "decibéis" que teremos que atingir para legislar alguma coisa...

8º round - Os argumentos da bancada do PS não conseguiram convencer ninguém - não há argumento político válido, quando se diz não é o momento mas até se concorda. Todos e todas percebemos a razão de tal atitude: o cálculo eleitoralista do PS. A maioria dos deputados do PS passou hoje pela indecência de votar contra algo em que acreditam, por eleitoralismo, sabendo eles que não conseguiram disfarçar esse interesse.

Round Final - A vergonha hoje surgiu nos rostos dos deputados do PS. Votaram contra algo que defendem, por conveniência para o PS, por ordem superior da sua direcção. Assinaram uma declaração de voto contrária ao sentido do mesmo, atrás da qual escondiam que a sua vontade e convicção era votarem o oposto. Olharam para a sua direita e viram os seus adversários usarem a liberdade de voto, apesar de terem uma líder que defende que o casamento serve para procriar. Muitos votaram contra, sabendo que os olhavam outros e outras a quem, nos últimos anos, prometeram o contrário.

A vergonha dos deputados do PS é a vergonha da democracia, diluída ela própria na indecência da conveniência de quem manda e de quem, envergonhado, obedece!

por Bruno Maia no Esquerda.Net

09 outubro 2008

JORNADA DE ACÇÃO PELA REGULARIZAÇÃO D@S IDOCUMENTAD@S


Pela regularização dos(as) indocumentados(as), contra a onda xenófoba e contra o Pacto Sarkozy.
Associações convocam jornada de acção para domingo, 12 de Outubro, às 15h, no Martim Moniz
.

Nos dias 15 e 16 de Outubro, o Conselho Europeu reunirá os chefes de Estado e de governo dos 27 para ratificar o "PACTO EUROPEU sobre IMIGRAÇÃO e ASILO", aprovado no conselho de ministros realizado a 25 de Setembro. O Pacto proposto por Nicolas Sarkozy, no contexto da presidência francesa da União Europeia, visa definir as linhas gerais da UE nesta matéria e assenta em cinco pontos fundamentais: organizar a imigração legal, priorizando a adopção do "cartão azul", para recrutamento de mão-de-obra qualificada; facilitar os mecanismos e procedimentos de expulsão e estabelecer nesse sentido parcerias com países terceiros e de trânsito; concretizar uma política europeia de asilo; reforçar o controlo das fronteiras; proibir os processos de regularização colectiva.

Depois da aprovação da Directiva de Retorno, com o voto favorável do Governo português, estas medidas representam mais uma vergonha para a Europa. O tratamento securitário das migrações, a definição de critérios discriminatórios para acesso ao trabalho, o aprofundamento da criminalização da migração, da militarização e externalização das fronteiras através do FRONTEX e a perseguição dos(as) cerca de 8 milhões de indocumentados(as) que vivem e trabalham na Europa - a quem é oferecida a expulsão como única saída -, são medidas que visam consolidar uma Europa Fortaleza, da qual não podemos senão nos envergonhar.

Em Portugal, a recente onda de mediatização da criminalidade e as recentes declarações de responsáveis governamentais que trataram os(as) como imigrantes bodes expiatórios para o aumento da criminalidade, abrem espaço para as pressões xenófobas e racistas, e criam um ambiente propício para a desresponsabilização do Governo. Em causa está a necessidade de regularização de dezenas de milhares de imigrantes que defrontam sérias dificuldades em regularizar a sua situação.

São homens e mulheres que procuraram fugir à miséria, fome, insegurança, obrigados a abandonar os seus países como consequência do aquecimento global e outras mudanças climáticas, ou que muito simplesmente tentaram mudar de vida, mas a quem não foi reconhecido o direito a procurar melhores condições de vida. Tratam-se de pessoas que não encontraram outra opção senão o recurso à clandestinidade, muitas vezes vítimas de redes sem escrúpulos, e que se confrontam com uma lei que diz cinicamente que "cada caso é uma caso", fazendo da regra a excepção e recusando à generalidade dos(as) imigrantes o reconhecimento da sua dignidade humana. Destaque-se a situação dos imigrantes sem visto de entrada, a quem a lei recusa qualquer oportunidade de legalização.

Solidários(as) com a luta que se desenvolve na Europa e no mundo contra as politicas racistas e xenófobas, também por cá vamos lutar pela regularização de todos imigrantes, sem excepção, cada homem/mulher - um documento. É uma luta emergente contra as pretensões de expulsão dos(as) imigrantes, contra a vergonha de uma Itália que estabelece testes ADN como instrumento de perseguição dos ciganos(as), contra as rusgas selectivas, arbitrárias e estigmatizantes, contra a criminalização dos(as) imigrantes, contra a ofensiva das políticas securitárias e racistas, alimentadas pelo tratamento jornalístico distorcido feito por alguns meios de comunicação social. Cientes de que está criado um ambiente de perseguição aos imigrantes na Europa, e rejeitando as pressões racistas e xenófobas dos Governos de Sarkozy e Berlusconi, organizações de imigrantes, de direitos humanos, anti-racistas, culturais, religiosas e sindicatos, decidiram marcar para o próximo dia 12 de Outubro, domingo pelas 15h, no Martim Moniz, uma jornada de acção pela regularização dos indocumentados(as), contra a onda de xenofobia e contra o Pacto Sarkozy.

ORGANIZAÇÕES SIGNATÁRIAS: Acção Humanista Coop. e Des.; ACRP; ADECKO; AIPA; Ass. Imig. nos Açores; APODEC; Ass. Caboverdeanade Lisboa; Ass. Cubanos R.P.; Ass. Lusofonia, Cult. e Cidadania; Ass. Moçambique Sempre; Ass. dos Naturais do Pelundo; Ass. dos Nepaleses; Ass. orginários Togoleses; Ass. R. da Guiné-Conacri; Ass. Olho Vivo; Ass. Recr. Melhoramentos de Talude; Ballet Pungu Andongo; Casa do Brasil; Centro P. Arabe-Puular e Cultura Islâmica; Colect. Mumia Abu-Jamal; Khapaz; Ass. de Jovens Afro-descendentes; Núcleo do PT-Lisboa; Obra Católica Portuguesa de Migrações; Solidariedade Imigrante; SOS Racismo.

07 outubro 2008

Um Magalhães à deriva nos impostos


A empresa JP Sá Couto, que produz o computador Magalhães, é acusada de fraude e fuga ao IVA, num processo que terá lesado o Estado, no total, em mais de cinco milhões de euros, informa a Rádio Renascença. Além da empresa, é também arguido um dos seus administradores, João Paulo Sá Couto. No total, há 41 acusados de crimes de associação criminosa e de fraude fiscal neste processo.
A empresa responsável pelo mini-portátil Magalhães - que o governo está a distribuir nas escolas do 1º ciclo - o seu administrador e os restantes acusados ter-se-ão associado para realizar uma mega fuga e fraude ao IVA. Os factos ocorreram entre 1998 e 2001. A acusação diz que foi por iniciativa de João Paulo Sá Couto que a empresa que fabrica o computador Magalhães assumiu a posição de elo final no "circuito carrossel", tendo como contrapartida um lucro de cerca de 4% sobre o valor da mercadoria facturada.
O esquema vulgarmente chamado "fraude Carrossel" consiste em transmissões sucessivas dos mesmos bens, em círculo, entre diversos operadores sediados em, pelo menos, dois estados da União Europeia, e caracteriza-se pela não entrega do valor do IVA devido por, pelo menos, um operador no seu país.
Os arguidos rejeitam a acusação, mas o juiz de instrução avançou para o despacho de pronúncia, não tendo, pois, os arguidos conseguido produzir prova capaz de pôr em causa os factos de que vinham acusados pelo Ministério Público
O Estado português pede cinco milhões, cento e trinta e seis mil e novecentos e cinquenta e sete euros (o equivalente ao enriquecimento ilícito das empresas e ao consequente empobrecimento do Estado), acrescido dos respectivos juros de mora.

06 outubro 2008

Simpsons - Yes We Can

Espaço público – ocupar para libertar


O Porto é hoje, um grande centro urbano capaz de produzir mais valias mas totalmente incapaz de dar o salto para fora ou mesmo de ser líder de uma região que é das mais pobres do país para além de sofrer com o hiato instalado entre Lisboa e Porto quer pelas diferenças salariais, pelo acesso aos bens de consumo e mesmo à relação de proximidade com as esferas de decisão do poder politico. É assim esta cidade em francas dificuldades, com perdas populacionais praticamente ininterruptas desde 1991,com o aumento do índice de envelhecimento, demonstrando que a falta de dinamismo demográfico se centra, em particular, na sangria das populações mais jovens (efeito conjunto das migrações para outros concelhos e da quebra de natalidade) e pela desvitalização e degradação do centro urbano, incluindo nas suas dimensões monumentais e patrimoniais. Não chega e nunca serão suficientes as recuperações iniciadas tardiamente por este executivo, porque elas não devolvem a cidade às pessoas - afastam a sua população e gentrificam atraindo uma fatia de população endinheirada que tenta marcar uma geração pelo regresso à cidade dos seus pais e avós mas é essa mesma cidade que é incapaz de receber esses pais e avós de volta. A recuperação urbana de fachada e a estrutural que não tem em conta as necessidades económicas da população que dela é natural não é nada mais que uma fachada bem pintada construída sobre os muros da pobreza que vão ficando por trás. Um dos principais problemas da cidade do Porto é, sem dúvida, a falta de atractividade em termos de qualidade da vivência urbana.

A destruição do panorama cultural do Porto começou logo em 2002, o ponto de retorno está cada vez mais longe e difícil de alcançar. Não se trata de acreditarmos ou não que Rui Rio poderá não sair vencedor das próximas eleições autárquicas mas sim da margem de manobra que ficará para o que se seguir. Contratos de exploração entregues em períodos de 20 anos ou superiores, cláusulas de rescisão incrivelmente altas e destruição dos hábitos culturais do tecido urbano são apenas alguns dos desafios que quem se opõem a Rui Rio vai ter que ultrapassar num próximo mandato.

Continue a ler em Esquerda.Net (artigo completo)

05 outubro 2008

Res Publica

03 outubro 2008

Os Pobres que Paguem a Crise !!!

01 outubro 2008

Flash Mob em Lisboa pelo direito ao casamento


Como sabem no dia 10 de Outubro foi agendada a discussão parlamentar de dois projectos que contemplam o acesso ao casamento civil a pessoas do mesmo sexo. Em Espanha, Zapatero, disse, "não estamos a legislar para gentes remotas e estranhas. Estamos a ampliar as oportunidades de felicidade dos nossos vizinhos, dos nossos colegas de trabalho, dos nossos amigos e das nossas famílias e, ao mesmo tempo, estamos a construir um país mais decente. Porque uma sociedade decente é aquela que não humilha os seus membros". Mais, falamos de uma alteração mínima na lei, com custo zero.
Sócrates, contrário ao seu congénere, recusou a liberdade de voto no dia 10 de Outubro. Dizendo que "o casamento de homossexuais não está na agenda política nem do Governo nem do PS. Não está no programa do Governo do PS e o PS não anda a reboque de nenhum outro partido". Como se fosse uma questão partidária!
Dizem que tem de haver debate na sociedade, não reconhecendo que a única questão fracturante nesta matéria é a homofobia em si.
Porque não podemos ficar indiferentes, porque queremos essa ateração na lei e porque Direitos não podem nunca andar a reboque, queremos convocar-te para duas flash mob pelo Acesso ao Casamento Civil entre Pessoas do Mesmo Sexo.

1ª Flash Mob, quinta-feira , 2 de Out, às 19h30, junto à saída do Metro Baixa/Chiado em frente à pastelaria A Brasileira.

2ª Flash Mob, quarta-feira, 8 de Out, às 19h30, na Praça do Rossio, junto à estátua, onde foram muitos homossexuais castigados publicamente.

O que é uma flash mob? São multidões de pessoas, num sítio público, que realizam uma acção previamente combinada e que devem dispersar por completo após a realização do proposto.
Que devo fazer? Deves levar uma folha em branco e uma caneta. Às 19h30, deves escrever na folha em branco "Acesso ao Casamento Civil", e de seguida erguer a folha para que todas e todos a possam ler. Ao fim de um minuto, deves dispersar, como se nada tivesse acontecido.
E procura ser pontual. Está lá um pouco antes para que a flash mob tenha o impacto pretendido. E faz um ar descontraído
Poderás também divulgar via sms.